Livros de Jean Rostand

Mata-se um homem, é-se um assassino. Matam-se milhões de homens, é-se um conquistador. Mata-se a todos, é-se um Deus.

Sobre o Autor

Jean Rostand

Jean Rostand (30 de outubro de 1894 - 3 de setembro de 1977), biólogo, filósofo moralista e historiador francês.

Melhores Livros de Jean Rostand

Mais frases de Jean Rostand

Em ciência não existe um erro tão grosseiro que, amanhã ou depois, sob alguma perspectiva, não pareça profético.

Um amigo é a pessoa a quem mais se dá crédito quando fala mal de nós.

Peço a um livro que crie em mim a necessidade daquilo que ele me traz.

Sinto-me deveras otimista quanto ao futuro do pessimismo.

Antes de sonhar é preciso saber.

Certeza, servidão.

Não tenho verdades, apenas convicções.

Embora ela pareça susceptível de unir, nada divide tanto como a verdade.

Se alguém mata um homem, é um assassino. Se mata milhões de homens, é um conquistador. Se mata todos, é um Deus.

Amar alguém de idade é embrenharmo-nos profundamente na sua companhia, num caminho de que teremos de regressar sozinhos, no escuro.

O difícil é a moral estática, é mais fácil preparar os homens para a morte que ajudá-los a viver o dia a dia.

Reflectir é desarrumar os pensamentos.

Ter um espírito aberto não é tê-lo escancarado a todas as tolices.

Um beijo é um segredo que se diz na boca e não no ouvido.

Em arte a beleza é muitas vezes o feio mitigado.

Certas rudezas de estilo são garantias da integridade do pensamento. Existe só uma forma de dizer o que pensamos, e por que razão teria que ser agradável?

Ao sair de certas bocas, a própria verdade pode ter mau cheiro.

A ciência encontra mais depressa remédios que respostas.

A ciência fez de nós deuses antes mesmo de merecermos ser homens.

Ser adulto é estar sozinho.

Mata-se um homem, é-se um assassino. Matam-se milhões de homens, é-se um conquistador. Mata-se a todos, é-se um Deus.

É durante a noite que é belo acreditar na luz.

A arte deve ser mentira verdadeira e não falsa verdade.

As verdades consoladoras devem ser demonstradas duas vezes.

Como é preciso gostar de alguém para preferi-lo à sua ausência!

Há na tolerância um grau que confina com a injúria.

Aqueles que falam das alegrias do amor, por certo, nunca amaram. Amar um ser é senti-lo necessário, portanto, sentirmo-nos nós próprios numa incessante precariedade.

Nunca a verdade ajuda a sofrer menos.

A morfina foi inventada para que os médicos durmam tranquilos.

Um dos riscos de escrever máximas é que nos colocamos na condição de sermos citados.

O casamento simplifica a vida e complica o dia.

O homem abafa no homem.

Ser-se adulto é estar sozinho.

Aguardar até saber o bastante para agir com toda a luz é condenar-se à imaturidade.

É raro que estejamos completamente inocentes dos nossos sofrimentos.

Não se envelhece enquanto buscamos.

Um bom casamento seria aquele em que esqueceríamos, de dia que somos amantes e de noite que somos esposos.

O homem não é velho enquanto está buscando alguma coisa.

Para abrir um novo caminho,é preciso ser capaz de se perder.

Aguardar até saber o bastante para agir é condenar-se à imaturidade.

Beijo é um segredo que se diz na boca.