Livros de Hugo Hofmannsthal

Sem o amor-próprio nenhuma vida é possível, nem sequer a mais leve decisão, só desespero e rigidez.

Sobre o Autor

Hugo Hofmannsthal

Hugo von Hofmannsthal, pseudônimo de Hugo Laurenz August Hofmann (* 1 de fevereiro de 1874, em Viena, Áustria; † 15 de julho de 1929, em Rodaun, Áustria) foi um escritor austríaco.

Melhores Livros de Hugo Hofmannsthal

Mais frases de Hugo Hofmannsthal

O presente é em absoluto a face dolorosa da existência - mas é apenas algo de provisório.

O espírito são procura o real, o espírito insano agarra-se ao irreal.

Onde a vontade só desperta, aí já quase se alcançou alguma coisa.

Uma certa medida de orgulho é um ingrediente útil do génio.

É duro para alguém bater-se com uma sociedade dominante, mas é ainda mais duro ter de postular uma que não existe.

É o vencedor moral que mais facilmente morre para vencer.

É necessário também um momento especial para reconhecermos as diferenças entre nós e os outros.

A música clássica do amor é em tom maior, a romântica em tom menor. O amor moderno é uma fraca melodia, sobreinstrumentada.

Crianças precoces e velhos imaturos há bastantes em certos estados em que o mundo por vezes se encontra.

As pessoas são muitas vezes escravas da sua arbitrariedade, mesmo em si próprias; mas é espantoso que elas saibam tão raramente aplicar a sua vontade.

Não há duas pessoas no mundo que, por uma indiscrição diabolicamente concebida, não possam vir a tornar-se inimigos mortais.

É preciso fazer um esforço para deixar de sentir o presente, como na música para deixar de ouvir o timbre dos instrumentos.

O espírito vence a matéria. A arma mais forte que esta possui na luta contra aquele é a sua transitoriedade.

A espécie mais perigosa de estupidez é uma inteligência aguçada.

É preciso, no geral, acreditar em alguém, para, no particular, realmente nele depositar confiança.

É no princípio da vida que se é mais subjectivo e se compreende menos a subjectividade dos outros.

O que é terrível na culpa é que ela atribui ao medo, o maior mal que existe no mundo, um enorme direito.

Muito poucas pessoas quiseram verdadeiramente sequer um momento só da sua vida, como tão-pouco amaram.

Não há nada mais raro no mundo que a vontade; e, no entanto, a escassa porção de vontade que é concedida aos homens chega para virar todos os seus juízos.

A espécie mais perigosa da estupidez é um entendimento agudo.

O génio estabelece o acordo entre o mundo em que vive e o mundo que nele vive.

Todo o fervor posto no descritivo conduz ao exagero.

Foi para o sobrestimarmos que o passado foi incorporado na nossa memória.

As crianças entretêm-nos, porque são fáceis de entreter.

A parvoíce do esperto, a deselegância do elegante: onde é que se radicam? No gosto desenfreado de imitar.

Os hábitos são tão difíceis de combater, porque neles a inércia, que em geral se opõe a qualquer ação, se associa a um certo sentido rítmico de atividade.

O egoísmo não peca tanto por ações como por não-compreensão.

Não se pode pretender que alguém conheça tudo, mas sim que, conhecendo alguma coisa, tenha conhecimento de tudo.

Só quem cria o que é mais delicado pode criar o que é mais forte.

Os acontecimentos são ondas que ameaçam o espírito, mas também o sustentam.

Uma forma de nos educarmos a nós próprios é desafiarmos uma pessoa que para nós tem autoridade a pronunciar-se sobre um assunto em que sabemos que ela tem uma opinião diferente da nossa.

Pensar que todos os céus e infernos de todas as religiões foram construídos a partir do interior do ser humano: tudo depende da força da projecção para o exterior.

Como uma pessoa sente, assim quer que a sintam.

A idade dos homens, vista de dentro, é eterna juventude.

Os carácteres simples, não os complexos, são difíceis de entender.

Há qualquer coisa em nós que está por cima e por trás de todas as idades e com todas as idades vai brincando.

Ao dizer algo de condensado sobre a realidade, aproximamo-nos já do sonho, ou antes, da poesia.

Espírito é realidade dominada. O que se afasta da realidade não é espírito.

Há nos homens, em igual medida, tanto uma inércia incompreensível como uma atividade nociva no momento impróprio e no local impróprio.

A alma inteira nunca está concentrada, a não ser no êxtase.

De meros vazios se constrói o recheio da existência humana.

O homem só se apercebe, no mundo, daquilo que em si já se encontra; mas precisa do mundo para se aperceber do que se encontra em si; para isso são, porém, necessários atividade e sofrimento.

Reconhecer autoridade sobre si é um sinal de superior humanidade.

Uma hora de contemplação é melhor que um ano de devoção.

Quem não considera a vida de sociedade apenas como simbólica está enganado.

Cada novo conhecimento que se faz produz desagregação e nova integração.

Saber é pouco; saber na relação exata é muito, saber no ponto exato é tudo.

Quem entender a maior irrealidade dará forma à maior realidade.

Qualquer novo conhecimento provoca dissoluções e novas integrações.

É muito diferente se as pessoas se podem comportar para com as outras como espectadoras ou se participam sempre do seu sofrimento, da sua alegria ou da sua culpa: estas são as que verdadeiramente vivem.

O paradoxo da existência literária é que o público da época deseja uma alimentação diferente da que reclama o público sobreepocal.

Deus disse: Eu era um tesouro que ninguém conhecia, e quis tornar-me conhecido. Então criei o homem.

Em cada pessoa mora uma inocência própria.

Ficar calado tanto quanto possível e não deixar, por isso, de estar alegre.

O adversário mais perigoso da força é a fraqueza.

Ao receberem e darem os seus pensamentos, as pessoas comunicam entre si como nos beijos e abraços; quem recolhe um pensamento não recebe alguma coisa, mas alguém.

Os amigos não são muitos nem poucos, mas o número suficiente.

O amor e o seu reverso, o ódio, constituem o verdadeiro estudo da vida, porque só eles tiram as consequências dos outros indivíduos.

Com a sua intuição a juventude sabe que o mundo está cheio de forças; mas não chega a entender qual o papel que a fraqueza, nas suas diversas formas, desempenha no mundo.

A experiência deve ser avaliada duplamente, conforme faz subir a consciência do próprio valor ou em que medida a faz baixar.

Onde é que se pode encontrar o teu próprio eu? Sempre no mais profundo encantamento que experimentaste.

O bom gosto é a capacidade de reagir continuamente contra o exagero.

A atenção e o amor condicionam-se reciprocamente.

Caráteres sem ação são frouxos, ações sem caráteres são cegos.

Ódio a si próprio de forma parcial na base de tudo o que constitui fracasso.

Não há nada essencial no interior que não seja ao mesmo tempo percebido no exterior.

A vontade tem, nos nossos pensamentos, uma participação muito maior que a razão.

Não se pode exigir que uma pessoa saiba tudo, mas que uma pessoa, sabendo de uma coisa, saiba de tudo.

Uma pessoa tem alguns amigos menos do que supõe e alguns mais do que conhece.

Amor-próprio e ódio a si próprio são as mais profundas das forças produtivas terrenas.

Política é magia.

Uma pessoa pode chegar aos sessenta anos sem fazer uma ideia do que é um carácter. Nada é mais oculto do que as coisas com que continuamente andamos na boca.

Há tantas espécies de pessoas de vinte anos ou de cinquenta anos como há espécies de amigos, amantes ou pais.

Tudo aquilo em que se acredita existe, é só isso.

Um inteligência vulgar é como um mau cão de caça, que depressa encontra a pista de um pensamento e depressa a volta a perder; uma inteligência invulgar é como um cão de fila, que segue firme e resolutamente a pista até atingir o que é vida.

A política é magia. A quem sabe invocar os poderes é que eles obedecem.

Sem o amor-próprio nenhuma vida é possível, nem sequer a mais leve decisão, só desespero e rigidez.

A imaginação forte é conservadora.

O homem está cheio de intenções; não as conhece, mas elas constituem os impulsos secretos da sua ação.

A única identidade que subsiste perante o olhar que penetra bem fundo é a identidade do que é contrário.

Cada novo conhecimento importante que se faz decompõe-nos e volta a compor-nos. Se esse conhecimento for da maior importância, passamos por uma regeneração.

A pintura transforma o espaço em tempo; a música, o tempo em espaço.

O presente impõe formas. Sair dessa esfera e produzir outras formas constitui a criatividade.

O processo de formação é tanto mais feliz quanto mais as suas diversas fases assumirem o caráter de acontecimentos vividos.

Amadurecer significa separar de forma mais nítida, ligar de forma mais íntima.

A verdadeira poesia mantém a mesma distância da insensibilidade e do sentimentalismo.

Não é conhecer muitas coisas, mas sim pôr muitas coisas em contato umas com as outras que constitui um primeiro grau de criatividade.

Aceitar é mais difícil do que entusiamar-se.

Na juventude, somos atraídos por aquilo que é chamado de interessante; na idade madura, pelo que é bom.

A beleza, inclusive na arte, não pode ser imaginada sem pudor.

Os jovens usam muitas vezes no espírito uma peruca, mas feita do seu próprio cabelo.

O espírito desenvolve a sua maior força corpo a corpo com o sensual.

Não é a ação que torna impuro o delinquente; é só o delinquente que torna impura a ação.