Sobre o Autor

Voltaire

Voltaire, pseudónimo de François-Marie Arouet (Paris, 21 de Novembro de 1694 - 30 de Maio de 1778), foi um poeta, ensaísta, dramaturgo, filósofo e historiador iluminista francês. Ele defendia a liberdade de ser e pensar diferente.

Para se ter alguma autoridade sobre os homens, é preciso distinguir-se deles. É por isso que os magistrados e os padres têm gorros quadrados.

Os reis são para os seus ministros como os cornudos para as esposas: nunca sabem o que se passa.

Gozai a vossa bela saúde; só é jovem quem passa bem.

Ideias são como barbas: o homem só tem uma quando ela cresce.

Só há uma maneira de lutar contra o poder: é sobreviver-lhe.

A esperança é um alimento da nossa alma, ao qual se mistura sempre o veneno do medo.

O casamento é a única aventura ao alcance dos covardes.

O mais competente não discute, domina a sua ciência e cala-se.

Não será uma vergonha que os fanáticos sejam zelosos e que os sábios se desmazelem?

Julgue-se um homem mais pelas suas perguntas do que pelas suas respostas.

Há cem poéticas para um poema.

É melhor correr o risco de salvar um homem culpado do que condenar um inocente.

O repouso é uma boa coisa mas o tédio é seu irmão.

O maior prazer que alguém pode sentir é o de causar prazer aos seus amigos.

Quem pretende destruir as paixões, em vez de as regular, quer fingir-se inocente.

Um ancião é uma grande árvore que, já não tendo nem frutos nem folhas, ainda está presa á terra.

A superstição põe o mundo em chamas, a filosofia apaga-as.

O homem nasceu para a ação, tal como o fogo tende para cima e a pedra para baixo.

Feliz daquele que desfruta agradavelmente da sociedade! Mais feliz é quem não faz caso dela e a evita!

A arte da medicina consiste em distrair o paciente enquanto a Naureza cuida da doença.

Todos os homens têm o seu instinto; e o instinto do homem, fortalecido pela razão, leva-o à sociedade, como à comida e à bebida.

Perdoar aos nossos inimigos as suas virtudes - este, sim, é um grande milagre.

Ai dos feitores de traduções literárias que, ao traduzir cada palavra, enfraquecem o sentido! Este é bem o caso em que se pode dizer que a letra mata e o espírito vivifica.

A vida é uma criança que é preciso embalar até que adormeça.

O supérfluo é uma coisa extremamente necessária.

Os caluniadores são como o fogo que enegrece a madeira verde, não podendo queimá-la.

Deus fez do arrependimento a virtude dos mortais.

Fiz um pouco de bem; é a minha melhor obra.

Confesso que o género humano não é tão mau como certas pessoas o apregoam na esperança de o governar.

Não prestamos para nada se só formos bons para nós próprios.