Valorize os seus limites e por certo n√£o se livrar√° mais deles.

Sobre o Autor

Richard Bach

Richard Bach (1936) é um escritor americano.

Mais frases de Richard Bach

Eis um teste para saber se você terminou sua missão na Terra: se você está vivo, não terminou.

Não dê as costas a possíveis futuros antes de ter certeza de que não tem nada a aprender com eles.

Valorize os seus limites e por certo n√£o se livrar√° mais deles.

O que a lagarta chama de fim do mundo, o homem chama de borboleta.

O que abrigares em teu coração será verdade e converter- te- ás no que mais admira.

N√£o precisas de muralhas! As muralhas n√£o te protegem, te isolam.

Tudo que √© necess√°rio para realizar um v√īo suave e f√°cil √© voar solto e despreocupado.

Se desejas tanto a liberdade e a felicidade, não vês que ambas estão dentro de ti? Pensas que a tens e a terás. Age como se fossem tuas e serão.

Os problemas existem para serem resolvidos. A liberdade, para comprov√°-la.

Podemos oferecer um presente, mas não podemos obrigar ninguém a aceitá-lo.

Quando amas alguém e sabes que ele está pronto para aprender e crescer, tu o deixas em liberdade.

A √ļnica coisa que destr√≥i os sonhos √© resignar-se √†s concess√Ķes.

Quero saber o que é o mundo e por que estou aqui e para onde estou indo...Quero saber também como voar sem um avião, se assim o desejar.

Nunca te é concedido um desejo sem que te seja concedida também a facilidade de torná-lo realidade. Entretanto, é possível que tenhas que lutar por ele.

Estou aqui não porque deva estar, nem porque me sinto cativo nesta situação, mas porque prefiro estar contigo a estar contigo a estar em qualquer outro lugar no mundo.

Sem d√ļvida, tua coura√ßa te protege de quem desja te destruir. Mas se n√£o deixares cair, ela te isolar√° tamb√©m da √ļnica pessoa que pode te amar.

Qualquer id√©ia poderosa √© absolutamente fascinante e absolutamente in√ļtil at√© decidirmos us√°-la.

Se buscas a segurança antes da felicidade, a segunda será o preço que terás que pagar pela primeira.

Vive tentando realizar muitas das coisas com que sempre sonhaste e n√£o te sobrar√° tempo para te sentires mal.

Quantos vivem toda a vida sem descobrir o que sabem e amam? Tantos. Não ser um desses é essa a tua missão.

Em cada escolha arriscas a vida que poderias ter; em cada decisão, perdê-la.

Não é o desafio que define quem somos nem o que somos capazes de ser, mas como enfrentamos esse desafio: podemos incendiar as ruínas ou construir, através delas e passo a passo um caminho que nos leve à liberdade.

Existem todas as possibilidade, a mais absoluta liberdade de escolha. Como em um livro, onde cada letra permanece para sempre na página, mas o que muda é a própria consciência que escolhe o que ler e o que deixar de lado.

Se nos apegamos tanto √†s coisas e √†s pessoas, quando elas partirem n√£o partir√° tamb√©m uma parte de n√≥s? √Č muito melhor nos apegarmos a pensamentos para sempre do que √†quilo que agora est√° a√≠ e que, um instante depois pode desaparecer.

Uma alma gêmea é alguém cujas fechaduras coincidem com nossas chaves e cujas chaves coincidem com nossas fechaduras. Quando nos sentimos seguros a ponto de abrir as fechaduras, surge o nosso eu mais verdadeiro e podemos ser completa e honradamente quem somos. Cada um descobre a melhor parte do outro.

Amar alguém incondicionalmente é não nos preocuparmos com o que essa pessoa é ou faz.

Aqueles que não amam a mudança são, verdadeiramente, visitantes da Terra.

Mais um ano longe de ser criança? Isso não me parece ser o mesmo que crescer.

Podem os quil√īmetros separar-nos realmente dos amigos? Se quer estar com Rae, j√° n√£o est√° l√°?

Não dê as costas a possíveis futuros,antes de ter certeza de que não tem nada a prender com eles

Tua √ļnica obriga√ß√£o em qualquer per√≠odo da vida consiste em ser fiel a ti mesmo.

Aprender é descobrir aquilo que voce já sabe. Ensinar é lembrar aos outros que eles sabem tanto quanto você.

Nunca lhe dão um desejo sem também lhe dar o poder de realizá-lo.

Eis um teste para saberes se terminaste a tua miss√£o na Terra: se est√°s vivo, n√£o a terminaste.

N√£o se lamente pelas perdas. Elas s√£o necess√°rias para voltar a se encontrar...

Aprender é descobrir aquilo que você já sabe. Fazer é demonstrar que você o sabe. Ensinar é lembrar aos outros que eles sabem tanto quanto você.

Não existe um problema que não ofereça uma dádiva para você. Você procura os problemas porque precisa das dádivas por ele oferecidas...

Se a sua felicidade depende do que fazem os outros, eu acho que você tem um grande problema sim...

Cada pessoa, todos os fatos de sua vida ali est√£o porque voc√™ os p√īs ali.... O que fazer com eles cabe a voc√™ resolver....

N√£o chore nas despedidas, pois elas constituem formalidades obrigat√≥rias para que se possa viver uma das mais singulares emo√ß√Ķes da vida: O reencontro.

A tua √ļnica obriga√ß√£o durante toda a tua exist√™ncia √© seres verdadeiro para contigo pr√≥prio.

O pecado original é limitar o ser.

Long é um lugar que não existe.

Não há enganos. Os acontecimentos que recaem sobre ti, por muito desagradáveis que sejam, são necessários para que aprendas aquilo que precisas aprender. Cada passo que dás é necessário para chegar ao local que escolheste.

Porque o importante é você saber a verdade. Até saber, até realmente compreender, só pode demonstrá-la em coisas menores, com ajuda externa, de máquinas e pessoas e pássaros. Mas deve se lembrar sempre que não saber não impede a verdade de ser verdadeira.

¬ďDurante anos procuramos encontrar algu√©m que nos compreenda, algu√©m que nos aceite como somos, capazes de nos oferecer a felicidade, apesar das duras provas. Apenas ontem descobri que esse m√°gico algu√©m √© o rosto que vemos no espelho.¬ď

O PODER DE NOSSAS ESCOLHAS Coisas ruins não são o pior que pode nos acontecer. O que de pior pode nos acontecer é NADA. Uma vida fácil nada nos ensina. No fim, é o que aprendemos o que importa: o que aprendemos e como nos desenvolvemos. Traçamos nossas vidas pelo poder de nossas escolhas. Quando nossas escolhas são feitas passivamente, quando não somos nós mesmos que traçamos nossas vidas, nos sentimos frustrados. Uma pequena mudança hoje pode acarretar-nos um amanhã profundamente diferente. São grandes as recompensas para aqueles que têm a coragem de mudar, mas essas recompensas acham-se ocultas pelo tempo. Geramos nossos próprios meios. Obtemos exatamente aquilo pelo que lutamos. Somos responsáveis pela vida que nó próprios criamos. Quem terá a culpa, a quem cabe o louvor, senão a nós mesmos? Quem pode mudar nossas vidas, a qualquer tempo, senão nós mesmos? Deus sabe que isto é verdade

Quase todos n√≥s percorremos um longo caminho. Fomos de um mundo para outro, que era praticamente igual ao primeiro, esquecendo logo de onde vi√©ramos, n√£o nos preocupando para onde √≠amos, vivendo o momento presente. Tem alguma id√©ia de por quantas vidas tivemos de passar at√© chegarmos a ter a primeira intui√ß√£o de que h√° na vida algo mais do que comer, ou lutar, ou ter uma posi√ß√£o importante dentro do bando? Mil vidas, Fern√£o, dez mil! E depois mais cem vidas at√© come√ßarmos a aprender que h√° uma coisa chamada perfei√ß√£o, e ainda outras cem para nos convencermos de que o nosso objetivo na vida √© encontrar essa perfei√ß√£o e lev√°-la ao extremo. A mesma regra mant√©m-se para os que aqui est√£o agora, √© claro: escolheremos o nosso pr√≥ximo mundo atrav√©s daquilo que aprendermos neste. N√£o aprender nada significa que o pr√≥ximo mundo ser√° igual a este, com as mesmas limita√ß√Ķes e pesos de chumbo a vencer.

A PONTE PARA O SEMPRE Pensamos que, √†s vezes, n√£o restou um s√≥ drag√£o. N√£o h√° mais qualquer bravo cavaleiro, nem uma √ļnica princesaa passear por florestas encantadas. Pensamos,, √†s vezes, que a nossa era est√° al√©m das fronteiras, al√©m das aventuras. Que o destino j√° passou do horizonte e se foi para sempre. √Č um prazer estar enganado. Princesas e cavaleiros, encantamentos e drag√Ķes, mist√©rio e aventura... n√£o existem apenas aqui e agora, mas tamb√©m continuam a ser tudo o que j√° existiu nesse mundo. Em nosso s√©culo, s√≥ mudaram de roupagem. As apar√™ncias se tornaram t√£o insidiosas que as princesas e cavaleiros podem se esconder uns dos outros, podem se esconder at√© de si mesmos. Contudo, os mestres da realidade ainda nos encontram, em sonhos, para nos dizerem que nunca perdemos o escudo de que precisamos contra os drag√Ķes; que uma descarga de fogo azul nos envolve agora, a fim de que possamos mudar o mundo como desejarmos. A intui√ß√£o sussurra a verdade! N√£o somos poeira, somos magia! Feche os olhos e siga sua intui√ß√£o.

Nada acontece por acaso. Não existe a sorte. Há um significado por detrás de cada pequeno ato. Talvez não possa ser visto com clareza imediatamente, mas sê-lo-á antes que se passe muito tempo.

Se você ama alguém, deixe-o livre. Se ele voltar, é seu. Se não, nunca foi.

S√™ fiel a ti mesmo. Eis tua √ļnica miss√£o.

Cada mundo tem suas pr√≥prias leis e suas concep√ß√Ķes sobre quem √© dono de que coisa: quase todas s√£o diferentes.

Para viveres livre e feliz deves sacrificar a rotina, mas isso quase nunca é um sacrifício fácil.

Ninguém pode nos proibir de fazer o que queremos fazer.

Cada um de nós é, na verdade, uma idéia ilimitada da liberdade.

Cada um de nós é, na verdade, uma idéia ilimitada da liberdade. Devemos rejeitar tudo o que nos limite.

Os questionamentos mais simples s√£o os mais profundos: Onde vais? Onde fica teu lar? O que fazes? Faz as mesmas perguntas de tempos em tempos e observa como mudam as tuas resolu√ß√Ķes.

Um ser humano é uma expressão de vida, espalha luz e reflete o amor em qualquer dimensão que decida tocar.

A humanidade não é uma descrição física, mas uma meta espiritual. Não é algo que nos seja dado, mas algo que conquistamos.

Nunca te é concedido um desejo sem que te seja concedida também a faculdade de torná-lo realidade. Entretanto, é possível que tenhas que lutar por ele.

O que você faria se não tivesse medo?

Aquilo que você mais sabe ensinar, é o que você mais precisa aprender...

Nunca um desejo lhe é dado sem que também lhe seja dado o poder de realizá-lo. Entretanto, você pode ter que se esforçar por ele.

Nunca se alcança um desejo sem receber ao mesmo tempo os meios de realizá-lo.

Se você depender das pessoas se importarem com o que diz, estará dependendo dos outros para a sua felicidade

Mais cedo ou mais tarde, os que vencem s√£o aqueles que acreditam que conseguem¬Ē

Estamos sempre partindo. Sempre dizendo adeus.

¬ďYour friends will know you better in the first minute you meet than your acquaintances will know you in a thousand years.¬Ē

¬ďYour conscience is the measure of the honesty of your selfishness. Listen to it carefully.¬Ē

O importante não é se algo já está feito, mas que temos infinitas possibilidades de escolha. Nossas escolhas nos levam a experiências que nos fazem compreender que não somos as criaturas pequenas que parecemos ser.

Uma nuvem n√£o sabe porque se move em tal dire√ß√£o. Sente um impulso... √Č para este lugar que devo ir agora. Mas o c√©u sabe os motivos e desenhos por tr√°s de todas as nuvens, e voc√™ tamb√©m saber√°, quando se erguer o suficiente para ver al√©m dos horizontes.

De al√©m-horizonte norte e al√©m-horizonte sul, de al√©m-terra a al√©m-mar, reina, calmo e sereno, o c√©u. E reparei que o c√©u est√° sempre em movimento, mas nunca some. Que, aconte√ßa o que acontecer, o c√©u est√° sempre conosco. Que o c√©u n√£o pode ser afetado. Meus problemas, para o c√©u, n√£o existem, nunca existiram e nunca existir√£o. Que o c√©u n√£o interpreta o mal. Que o c√©u n√£o julga. Que o c√©u, muito simplesmente, existe. Existe, quer desejemos aceitar esse fato ou nos enterrar-nos debaixo de mil quil√īmetros de terra ou mais fundo ainda, sob o teto impenetr√°vel da rotina. - Ora, des√ßa das nuvens, bote os p√©s no ch√£o! ¬Ė dizem as pessoas. Mas, em ocasi√Ķes t√£o diversas quanto naquela praia deserta ou numa rua super movimentada, eu fui transportada do mais negro desespero para a liberdade. Da irrita√ß√£o, da raiva e do medo para a constata√ß√£o: -Ora, que me importa? Eu sou feliz! S√≥ por olhar o c√©u... O c√©u n√£o √© Deus, mas para as pessoas que gostam de voar, o c√©u pode ser um s√≠mbolo de Deus e, pensando bem, at√© que um bom s√≠mbolo. ... O c√©u est√° sempre l√° em cima. N√£o pode ser enterrado, transladado, acorrentado, arrasado. O c√©u existe, apenas, queiramos n√≥s ou n√£o, olhemos ou n√£o para ele, amemo-lo ou odiemo-lo. Existe: quieto, grande, presente. O c√©u √© uma coisa misteriosa. Est√° sempre se movendo, mas nunca desaparece. N√£o liga, para nada que seja diferente dele. O c√©u sempre existiu, sempre existir√°. O c√©u n√£o entende o mal, n√£o fica ofendido, n√£o exige que fa√ßamos nada em especial, em nenhuma altura. N√£o √© um bom s√≠mbolo de Deus?

Nada acontece por acaso. Não existe a sorte. Há um significado por detrás de cada pequeno ato. Talvez não possa ser visto com clareza imediatamente, mas sê-lo-á antes que se passe muito tempo.

¬ďA soulmate is someone who has locks that fit our keys, and keys to fit our locks. When we feel safe enough to open the locks, our truest selves step out and we can be completely and honestly who we are; we can be loved for who we are and not for who we¬íre pretending to be. Each unveils the best part of the other. No matter what else goes wrong around us, with that one person we¬íre safe in our own paradise. Our soulmate is someone who shares our deepest longings, our sense of direction. When we¬íre two balloons, and together our direction is up, chances are we¬íve found the right person. Our soulmate is the one who makes life come to life. ¬Ē

¬ďIf your happiness depends on what somebody else does, I guess you do have a problem.¬Ē

¬ďWhat the caterpillar calls the end of the world, the master calls a butterfly.¬Ē

¬ďDont be dismayed at good-byes. A farewell is necessary before you can meet again. And meeting again, after moments or lifetimes, is certain for those who are friends.¬Ē