Sobre o Autor

Renato Russo

Renato Manfredini Júnior, conhecido como Renato Russo (27.03.1960 - 11.10.1996). Compositor poeta, cantor e pensador brasileiro. Destacou-se à frente da banda Legião Urbana.

O Amor é fogo que arde sem se ver, em ferida que doe e não se sente...

Quem inventou o amor me explica por favor

Agimos certo sem querer. Foi só o tempo que errou. Vai ser difícil sem você. Porque você está comigo o tempo todo”

Com você por perto eu gostava mais de mim!

Não queremos ser diferentes, e, sim, que todo mundo tenha o direito de ser como é.

Se fosse só sentir saudade, mas tem sempre algo mais..

Não falo pelo outros, só falo por mim. Ninguém vai me dizer o que sentir.

Não pode existir guerra santa, isso eh uma contradição em termos...

Nunca deixe que lhe digam: Que não vale a pena Acreditar no sonho que se tem Ou que seus planos Nunca vão dar certo Ou que você nunca Vai ser alguém... Quem acredita Sempre alcança...

Se tivesse que fazer tudo di novo, faria tudo di novo; pois é de minha personalidade!!

O tempo é o mercúrio-cromo, e tempo é tudo o que somos.

Quando tudo nos parece dar errado, acontecem coisas boas. Que não teriam acontecido, se tudo tivesse dado certo.

Eu vejo você se apaixonando outra vez, eu fico com a saudade você com outro alguém

E você? Você é o motivo. Do meu amanhecer. E a minha angústia. Ao anoitecer. Amor platônico

Só por hoje eu não quero mais chorar. Só por hoje eu espero conseguir aceitar o que passou e o que virá. Só por hoje vou me lembrar que sou feliz.

Todos os dias quando acordo, a primeira coisa que faço é sentir a sua falta.

E eu sou como um boomerang, quando eu acerto é pra matar... Como um boomerang tudo vai voltar, e a ferida que você me fez, é em você que vai sangrar...

O sândalo perfuma o machado que o feriu...

Quem me dera ao menos uma vez, acreditar por um instante em tudo q existe. Acreditar q o mundo é perfeito e q todas as pessoas são felizes

Nos perderemos entre montros da nossa própria criação

Por que se explicar Se não existe perigo...

Se você quiser alguém em quem confiar, confie em si mesmo.

Tem dias que tudo esta em paz e agora os dias são iguais.

Sempre precisei de um pouco de atenção, Acho que não sei quem sou.. Só sei do que não gosto..

Mas uma guerra sem razão já são tantas as crianças com armas na mão mas explicam novamente que a guerra gera empregos aumenta a produção. Existe alguém que está contando com você prá lutar em seu lugar já que nessa guerra não é ele quem vai morrer.

Sereníssima Sou um animal sentimental Me apego facilmente ao que desperta o meu desejo Tente me obrigar a fazer o que não quero E você vai logo ver o que acontece Acho que entendo o que você quis me dizer Mas existem outras coisas Consegui meu equilíbrio cortejando a insanidade Tudo está perdido mas existem possibilidades Tínhamos a idéia, você mudou os planos Tínhamos um plano, você mudou de idéia Já passou, já passou - quem sabe outro dia Antes eu sonhava, agora já não durmo Quando foi que competimos pela primeira vez ? O que ninguém percebe é o que todo mundo sabe Não entendo terrorismo, falávamos de amizade Não estou mais interessado no que sinto Não acredito em nada além do que duvido Você espera respostas que não tenho Não vou brigar por causa disso Até penso duas vezes se você quiser ficar Minha laranjeira verde, porque está tão prateada ? Foi da lua desta noite, do sereno da madrugada Tenho um sorriso bobo, parecido com soluço Enquanto o caos segue em frente Com toda a calma do mundo

Nas favelas, no senado Sujeira pra todo lado Ninguém respeita a constituição Mas todos acreditam no futuro da nação Que país é esse? Que país é esse? Que país é esse? No Amazonas, no Araguaia iá, iá, Na Baixada Fluminense Mato Grosso, nas Gerais e no Nordeste tudo em paz Na morte eu descanso, mas o Sangue anda solto Manchando os papéis, documentos fiéis Ao descanso do patrão Que país é esse? Que país é esse? Que país é esse? Que país é esse? Terceiro mundo, se for Piada no exterior Mas o Brasil vai ficar rico Vamos faturar um milhão Quando vendermos todas as almas Dos nossos índios num leilão Que país é esse? Que país é esse? Que país é esse?

Acrilic on Canvas É saudade então, e mais uma vez De você fiz o desenho mais perfeito que se fez Os traços copiei do que não aconteceu As cores que escolhi Entre as tintas que inventei Misturei com a promessa que nos dois nunca fizemos De um dia sermos três... Trabalhei você em luz e sombras E era sempre não foi por mal Eu juro que nunca quis deixar você tão triste Sempre as mesmas desculpas, E desculpas nem sempre são sinceras, quase nunca são. Preparei a minha tela Com pedaços de lençóis que não chegamos a sujar. A Armação fiz com madeira das janelas do seu quarto Do portão da sua casa fiz palheta e cavalete E com as lágrimas que não ficaram com você destilei óleo de linhaça Da sua cama arranquei pedaços que entalhei estiletes de tamanhos diferentes E fiz, então, pincéis com seus cabelos Com o batom que roubei de você E com ele marquei dois pontos de fuga E rabisquei meu horizonte E era sempre não foi por mal Eu juro que não queria machucar você prometo que isso nunca vai acontecer mais uma vez E era sempre, sempre o mesmo novamente, a mesma traição Às vezes é difícil esquecer Sinto muito ela não mora mais aqui Mas então porque eu finjo Que acredito no que invento Nada disso aconteceu assim Não foi desse jeito. Ninguém sofreu, E é só você que provoca essa saudade parecia Tentando pintar essas dores com o nome de amor perfeito E não te esqueças de mim

Não sou escravo de ninguém Ninguém senhor do meu domínio Sei o que eu devo defender E por valor eu tenho e temo O que agora se desfaz Esses são dias desleais. Reconheço o meu penar, Quando tudo é traição O que venho encontrar é A virtude em outras mãos Quase acreditei na tua promessa E o que vejo é fome e destruição Quase acreditei, quase acreditei E por honra, se existir verdade Existem os outros tolos e existe o ladrão E há quem se alimente do que é roubo Mas vou guardar o meu tesouro, Caso você esteja mentindo E a verdade que assombra O descaso que condena A estupidez o que destrói Eu vejo tudo o que se foi E o que não existe mais Tenho os sentidos já dormentes O corpo quer a alma entende Esta é a terra de ninguém Sei que devo resistir Não me entrego sem lutar Tenho ainda um coração Não aprendi a me render Que cai o inimigo então

Quando não estas aqui, sinto falta de mim mesmo,e sinto falta do teu corpo junto ao meu...Meu coração é tão tosco e tão pobre,não sabe ainda os caminhos do mundo.Quando não estas aqui, tenho medo de mim mesmo.