Sobre o Autor

Paulinho da Viola

Paulinho da Viola, compositor e cantor.

Solidão é lava Que cobre tudo Amargura em minha boca Sorri seus dentes de chumbo... Solidão, palavra Cavada no coração Resignado e mudo No compasso da desilusão... Viu! Desilusão, desilusão Danço eu, dança você Na dança da solidão...(2x) Camélia ficou viúva, Joana se apaixonou, Maria tentou a morte, Por causa do seu amor... Meu pai sempre me dizia: Meu filho tome cuidado, Quando eu penso no futuro, Não esqueço o meu passado Oh!... Desilusão, desilusão Danço eu, dança você Na dança da solidão Viu! Desilusão, desilusão Danço eu, dança você Na dança da solidão... Quando vem a madrugada Meu pensamento vagueia Corro os dedos na viola Contemplando a lua cheia... Apesar de tudo existe Uma fonte de água pura Quem beber daquela água Não terá mais amargura Oh!... Desilusão, desilusão Danço eu, dança você Na dança da solidão Viu! Desilusão, desilusão Danço eu, dança você Na dança da solidão... Danço eu, dança você Na dança da solidão...(2x)

Vou imprimir novos rumos Ao barco agitado que foi minha vida Fiz minhas velas ao mar Disse adeus sem chorar E estou de partida Todos os anos vividos São portos perdidos que eu deixo pra trás Quero viver diferente Que a sorte da gente É a gente que faz Quando a vida nos cansa E se perde a esperança O melhor é partir Ir procurar outros mares Onde outros olhares nos façam sorrir Levo no meu coração Esta triste lição que contigo aprendi Tu me ensinaste em verdade Que a felicidade está longe de ti

Faça como o velho marinheiro, que durante o nevoeiro põe seu barco devagar!

Voltar quase sempre é partir para um outro lugar.

Dinheiro na mão é vendaval na vida de um sonhador.