Sobre o Autor

Padre Fábio de Melo

Padre Fábio de Melo é um sacerdote católico, cantor, compositor, apresentador, poeta, escritor, professor, ligado a Congregação dos Sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus.

(...)Outro dia me pus a pensar que sou semelhante às mulheres da literatura de Érico Veríssimo. Aquelas que enquanto os homens se ocupavam da guerra, elas se ocupavam do tempo e do vento. Eu não tenho muitas definições a meu respeito; apenas respeito a dor de cada hora, a esperança de cada momento. E, se isso me define, então sou a dor que sabe esperar. [ Trecho do livro Mulheres de Aço e de Flores]

A TRISTEZA é uma telha quebrada na casa da nossa vida, mas a ESPERANÇA é um cobertor que nos protege

Nas entrelinhas é que dizemos. Bom terapeuta é o que escuta o que omitimos.

Há sempre um perigo no amor que tem utilidade. Enquanto o outro exerce uma função na nossa vida, corremos o risco de não experimentar o amor gratuito(...) A utilidade pode parecer amor, mas não é. Amor que se fundamenta na utilidade que o outro tem corre o risco de se transformar em abandono num futuro próximo. (Trecho do livro Tempo de esperas - O itinerário de um florescer humano)

É interessante observar os movimentos de nossas mudanças interiores. Nem sempre sabemos identificar o nascimento da inadequação que gera todo o processo. O fato é que um dia a gente acorda e percebe que a roupa não nos serve mais. Como se no curto espaço do descanso de uma noite a alma sofresse dilatação, deixando de caber no espaço antigo onde antes tão bem se acomodava. É inevitável. Mais cedo ou mais tarde, os sonhos da juventude perdem o viço. O que antes nos causava gozo, aos poucos, bem aos poucos, deixa de causar. (Trecho do livro Tempo de Esperas - O itinerário de um florescer humano)

Humano amor de Deus. Quando a solidão doeu em mim Quando meu passado não passou por mim Quando eu não soube compreender a vida Tu vieste compreender por mim Quando os meus olhos não podiam ver Tua mão segura me ajudou a andar Quando eu não tinha mais amor no peito Teu amor me ajudou a amar Quando o meu sonho vi desmoronar Me trouxeste outros pra recomeçar Quando me esqueci que era alguém na vida Teu amor veio me relembrar Que Deus me ama, que não estou só Que Deus cuida de mim Quando fala pela tua voz Que me diz: Coragem

O que falta muitas vezes, pra gente poder resolver os nossos problemas, é a simplicidade em enxergá-los. Retirar os excessos. Não permitir que os nossos excessos venham obscurecer a nossa visão, ou até mesmo, de nos impedir de encaminhar uma solução para aquilo que nos faz sofrer. Isso é ter fé. É a gente acreditar que Deus está do nosso lado no momento da nossa luta, no momento da nossa dor. E que portanto a gente tem o direito de ser simples. Quem traz no coração a certeza de que Deus é por ele, tem mais facilidade de adentrar nesse território da simplicidade. Porque não se sente sozinho sendo simples.

Amor é que nem passarinho: Quando engaiolamos pára de cantar, brilhar e perde a graça. Vida de amor é presença e ausência. Na medida certa. O amor é sentir saudade, pois é na saudade que conseguimos mensurar a importância das pessoas nas nossas vidas.

Não interprete ao pé da letra. Pelo corpo do texto estão as partes que compõem o sentido. Esta regra vale para as relações humanas. É no conjunto dos detalhes que nos revelamos. Mas na revelação há sempre a prevalência do mistério, o que no outro nunca é acessível. A Hermenêutica é sempre bem vinda.

Cuidado com os olhares de quem não sabe te amar. Eles costumam lhe fazer esquecer que você vale a pena!

Tempo não foi feito para ficar, ao contrário, foi feito para passar. E é bom quem passe.

Nem sempre a vida fala. Por vezes o que temos dela é o silêncio!

Felicidade não é lógica. Por vezes ela quebra todas as regras que dela conhecemos.

Dor que não recebeu o abrigo da palavra corre o risco de virar amargura.

Paixão só aprendeu a ficar por pouco tempo. O amor gosta mesmo é de permanecer a vida inteira.

Tem dia que põe virgula, tem dia que põe reticências, tem dia que põe ponto final e tem dia que tem a necessidade de virar a página.

É ofício do olhar chorar os excessos da alma.

E o que dizer aos que nunca dizem o que querem dizer? Dizer que não sei o que dizer por não saber ao certo o que dizem?

A linguagem é labirinto.

Bom mesmo é ser um cão. Ninguém se confunde com o seu latido.

Noite sem estrelas. Resta-me o brilho da lembrança que deixaram.

Ambientando-me com o dia. É como nascer de novo.

Eu acredito em lágrimas.

Algo me diz que se eu ousar espremer a espinha, emagrecerei uns dois quilos.

Quem nunca se irritou com a disciplina alheia, quando na hora da fome a pessoa anuncia: Comerei só uma salada! ?

Não era ódio. Era amor. Alguns sintomas são os mesmos.

Amar alguém é viver o exercício constante, de não querer fazer do outro o que a gente gostaria que ele fôsse. A experiência de amar e ser amado é acima de tudo a experiência do respeito.

Esqueça o que não deu certo… Deus já está te dando uma nova página pra você escrever a sua vida!

Durante muito tempo eu fiquei preocupada com o que os outros achavam ao meu respeito. Mas hoje, o que os outros acham de mim muito pouco me importa [a não ser que sejam pessoas que me amam], porque a minha salvação não depende do que os outros acham de mim, mas do que Deus sabe ao meu respeito.

Eu, visto pelo outro, nem sempre sou eu mesmo. Ou porque sou projetado melhor do que sou, ou porque sou projetado pior. Não quero nenhum dos dois. Eu sei quem eu sou. ...Os outros, apenas, me imaginam. Pe. Fábio De Melo.