"Amar, nunca me coube Mas sempre transbordou O rio de lembranças Que um dia me afogou E nesta correnteza Fiquei a navegar Embora, com certeza, Não possa me salvar Amar nunca me trouxe Completo esquecimento Mas antes me somou Ao antigo tormento E assim, cada vez mais, Me prendo neste nó E cada grito meu Parece ser maior"

Mario Quintana


Mario de Miranda Quintana foi um poeta, tradutor e jornalista brasileiro. Nasceu em Alegrete na noite de 30 de julho de 1906 e faleceu em Porto Alegre, em 5 de maio de 1994.

Comentários