Livros de Marcus Cícero

O hábito de tudo tolerar pode ser a causa de muitos erros e de muitos perigos.

Sobre o Autor

Marcus Cícero

Marco Túlio Cícero foi um grande estadista romano, que também se dedicou ao estudo da Filosofia. Teve grande prestígio como estadista e escreveu obras conhecidas até hoje.

Melhores Livros de Marcus Cícero

Mais frases de Marcus Cícero

Não basta adquirir sabedoria; é preciso, além disso, saber utilizá-la.

O hábito de tudo tolerar pode ser a causa de muitos erros e de muitos perigos.

Nem chega a ser útil saber o que acontecerá: é muito triste angustiar-se por aquilo que não se pode remediar.

Quem afasta a amizade da vida parece que arranca o sol do mundo, pois os deuses imortais não nos deram nada melhor nem mais doce.

A ignorância é a maior enfermidade do género humano.

Todos acham as suas obras belas.

Qualquer pessoa pode errar; mas ninguém que não seja tolo persiste no erro.

Um bom amigo é mais digno do que cem familiares.

Rico é aquele que tem tanto que não deseja mais.

Assim como gosto do jovem que tem dentro de si algo do velho, gosto do velho que tem dentro de si algo do jovem: quem segue essa norma poderá ser velho no corpo, mas na alma não o será jamais.

A amizade é simplesmente a amável concordância em todas as questões da vida.

Nunca estou mais acompanhado do que quando estou sozinho.

A lembrança serena de uma dor passada traz um prazer.

Prudência é saber distinguir as coisas desejáveis das que convém evitar.

Justiça extrema é injustiça.

O rosto é o espelho da alma.

Não nascemos apenas para nós mesmos.

O primeiro dever do historiador é não trair a verdade, não calar a verdade, não ser suspeito de parcialidades ou rancores.

A memória diminui... se não for exercitada.

Ó filosofia, guia da vida!

O melhor tempero da comida é a fome.

Os livros são o alimento da juventude.

Viver feliz não é mais do que viver com honestidade e retidão.

Reconhece-se o amigo certo numa situação incerta.

O que nos ajuda mais a conservar e manter a nossa força é o fato de sermos amados; e o que se lhe opõe mais é o fato de termos medo. O medo é mau guarda da nossa longevidade; a benevolência, pelo contrário, é fiel e dura até à eternidade.

É de admirar que um adivinho não ria ao ver outro adivinho.

A amizade apenas encontra a sua plena irradiação na maturidade da idade e do espírito.

A dedicação contínua a um objetivo único consegue frequentemente superar o engenho.

A história é testemunha do passado, luz da verdade, vida da memória, mestra da vida, anunciadora dos tempos antigos.

Que as armas cedam à toga, o triunfo militar à glória cívica.

O silêncio deles é uma eloquente afirmação.

Entendo que os chefes devem reconduzir tudo a este princípio: aqueles que eles governam devem ser tão felizes quanto possível.

Os homens são como os vinhos: a idade azeda os maus e apura os bons.

Para que possamos ser livres, somos escravos das leis.

Parece-me que arrancam o sol deste mundo, esses que afastam a amizade das suas vidas.

Quanto maiores são as dificuldades a vencer, maior será a satisfação.

Penso que nada é difícil para quem ama.

Lazer com dignidade.

Não saber o que aconteceu antes do teu nascimento seria para ti a mesma coisa que permanecer criança para sempre.

Não há nada de tão absurdo que não saia da boca de algum filósofo.

Sócrates foi o primeiro a evocar a filosofia do céu à terra, deu-lhe a cidadania nas cidades, introduziu-a também nas casas e obrigou-a a ocupar-se da vida e dos costumes, das coisas boas e das más.

Se temos uma biblioteca e um jardim temos tudo.

Fica sabendo que és um deus, se é deus aquele que possui força, sentimento e memória que prevê e que domina, modera e faz mover este corpo ao qual está ligado.

Não há nada mais gratificante do que o afecto correspondido, nada mais perfeito do que a reciprocidade de gostos e a troca de atenções.

O pensamento é livre.

Quanto melhor é uma pessoa, mais difícil se torna suspeitar da maldade dos outros.

No meio das armas, calam-se as leis.

Nada é perfeito quando encontrado.

Ninguém é assim tão velho que não acredite que poderá viver por mais um ano.

Para quem aspira ao primeiro lugar, não é indecoroso parar no segundo ou no terceiro.

Nas divergências civis, quando os bons valem mais do que os muitos, os cidadãos devem ser pesados, e não contados.

Não há nada que não se consiga com a força de vontade, a bondade e, principalmente, com o amor.

Paixões são como fogo: útil de inúmeras maneiras e perigoso de uma só forma- o excesso.

Para se ter vida longa é preciso viver devagar.