Jorge Luis Borges foi um célebre escritor, poeta e ensaísta argentino. Publicou poemas e contos que ficaram famosos no mundo todo.

Jorge Luis Borges foi um célebre escritor, poeta e ensaísta argentino. Publicou poemas e contos que ficaram famosos no mundo todo.

Frases e Pensamentos

46 frases no total. Página 2/2, de 31-46

    "Desde aquele dia
    não movi as peças
    no tabuleiro."

        Jorge Luis Borges

    "Longe um trinado.
    O rouxinol não sabe
    que te consola."

        Jorge Luis Borges

    "A vasta noite
    não é agora outra coisa
    se não fragrância."

        Jorge Luis Borges

    "No deserto
    acontece a aurora.
    Alguém o sabe."

        Jorge Luis Borges

    "A lua nova.
    Ela também a olha
    de outra porta."

        Jorge Luis Borges

    "É um império
    essa luz que se apaga
    ou um vaga-lume?"

        Jorge Luis Borges

    "A velha mão
    segue traçando versos
    para o esquecimento."

        Jorge Luis Borges

    "Sob o alpendre
    o espelho copia
    somente a lua."

        Jorge Luis Borges

    "Sob a lua
    a sombra que se alonga
    é uma só."

        Jorge Luis Borges

    "Não odeies o teu inimigo, porque, se o fazes, és de algum modo o seu escravo. O teu ódio nunca será melhor do que a tua paz."

        Jorge Luis Borges

    "O casamento é um destino pobre para uma mulher."

        Jorge Luis Borges

    "em vão espero
    as desintegrações e os símbolos
    que precedem ao sonho"

        Jorge Luis Borges

    "Hoje não me alegram
    as amendoeiras do horto.
    Me lembro de ti."

        Jorge Luis Borges

    "Sempre imaginei que o paraíso fosse uma espécie de livraria."

        Jorge Luis Borges

    "A esperança é o mais sórdido dos sentimentos."

        Jorge Luis Borges

    "Parece-me fácil viver sem ódio, coisa que nunca senti, mas viver sem amor acho impossível."

        Jorge Luis Borges

Biografia


Jorge Luis Borges nasceu em Buenos Aires, em 1899. Aprendeu inglês antes mesmo do castelhano, por influência de sua avó materna, que era de origem inglesa.

Ainda criança, aos sete anos de idade, escreveu um resumo de literatura grega. E aos oito escreveu seu primeiro conto, “La Visera Fatal”, inspirado em um episódio de Dom Quixote de Cervantes.

Em 1914 foi morar na Europa: primeiro em Genebra, onde Borges concluiu seu bacharelado e depois na Espanha, já em 1919, quando publicou diversos poemas e manifestos de imprensa.

Retornou para Buenos Aires e lá escreveu seu primeiro livro de poemas, “Fervor em Buenos Aires”, que foi publicado em 1923.

A partir do ano seguinte, Borges entrou em um período de intensa publicação: dois livros, “Luna de Enfrente” e “Inquisiciones”, além de algumas revistas literárias.

Sua fama estava consolidada. Nos anos seguintes foi aclamado como um dos mais notáveis escritores da América Latina.

Borges foi responsável por introduzir um novo tipo de regionalismo, com uma perspectiva metafísica da realidade. Dentro desses conceitos, escreveu “Cuaderno San Martin” e “Evaristo Carriego”.

Inventivo, trilhou por outros caminhos literários, chegando à narrativa fantástica. Foi nessa época que produziu as mais espetaculares ficções, como nos contos de “História Universal de La infâmia”, “Ficciones” e “El Aleph”.

Foi nomeado diretor da Biblioteca Pública Nacional, em 1937 e lá trabalhou por nove anos. Esse foi o único emprego oficial que o autor teve.

Acometido por problemas de visão desde cedo, aos 50 anos já havia perdido parcialmente a visão. Quando perdeu totalmente, sua mãe cuidou dele, lendo e escrevendo aquilo que o autor ditava.

Borges recebeu inúmeros prêmios, como reconhecimento pelo seu trabalho e prestígio no mundo literário. Em 1961 recebeu o prêmio concedido pelo Congresso Internacional de Editores, além de prêmios por parte dos governos da Itália, França Inglaterra e Espanha.

O autor morreu em 1986, vítima de um câncer hepático.

"As coisas muito claras me noturnam."

    Manoel de Barros

"Onde não puderes amar, não te demores..."

    Augusto Branco

"Eu não desisti...apenas não insisto mais."

    Cazuza

"Fácil é sonhar todas as noites. Difícil é lutar por um sonho."

    Carlos Drummond de Andrade

"Soltar os demônios pode ser muito educativo em certas ocasiões."

    Deepak Chopra

"Todo o homem é culpado do bem que não fez."

    Voltaire

"O sexo é o alívio da tensão. O amor é a causa"

    Woody Allen

"Os mentirosos estão sempre prontos a jurar."

    Vittorio Alfieri

"Vento

Pastor das nuvens."

    Mario Quintana

"A maior felicidade é quando a pessoa sabe porque é que é infeliz."

    Fiódor Dostoiévski