Sobre o Autor

Johann Goethe

Johann Wolfgang von Goethe (28 de Agosto de 1749 em Frankfurt am Main – 22 de Março de 1832 em Weimar). Escritor, cientista e filósofo alemão.

Coloca na cabeça perucas com cem mil cachos, / coloca nos pés coturnos de um braço de altura, /continuarás sempre a ser o que és.

Comparar não é, para um ignorante, senão um meio cômodo de se eximir de julgar.

Não chegamos a conhecer as pessoas quando elas vêm a nossa casa; devemos ir a casa delas para ver como são.

Muitos não sabem quanto tempo e fadiga custa a aprender a ler. Trabalhei nisso 80 anos e não posso dizer que o tenha conseguido.

No fundo, só se sabe que sabemos pouco; com o saber cresce a dúvida.

Estou de uma vez por todas perdido para estas cerimónias religiosas: todos estes esforços para tornar verdadeira uma mentira parecem-me do mais insípido. Não há nada maior que a verdade e a menor verdade já é grande.

A natureza é o único livro que oferece um conteúdo valioso em todas as suas folhas.

A própria pobreza torna orgulhosas as pessoas que não a merecem.

Seja o homem nobre, caridoso e bom. São as únicas coisas que o distinguem dos demais seres.

O que não se compreende, não se possui.

As nossas paixões são verdadeiras fénixes. Quando a mais antiga arde, renasce uma nova das cinzas da primeira.

O declínio da literatura indica o declínio de uma nação.

Este desejo de elevar o mais possível a pirâmide da minha existência, cuja base me foi dada e me domina, ultrapassa qualquer outro e mal me permite um instante de esquecimento.

Escrever a história é um modo de nos livrarmos do passado.

Genialidade é esforço.

Quando o homem ama a mulher, fala muito com ela, e sobre ela; quando deixa de a amar, fala com ela sobre ele.

Os adversários acreditam que nos refutam quando repetem a própria opinião e não consideram a nossa.

Em geral é o caráter pessoal do escritor, e não a arte do seu talento que lhe marca a importância aos olhos do público.

Tudo é mais complicado do que se possa imaginar e, ao mesmo tempo, mais complicado do que se poderia conceber.

Não se pode dizer que o que é inteligível seja sempre belo, mas com certeza o belo é sempre inteligível, ou, pelo menos, deve sê-lo.

O homem deseja tantas coisas, e no entanto precisa de tão pouco.

Muitos são orgulhosos por causa daquilo que sabem; face ao que não sabem, são arrogantes.

O homem não é feliz enquanto o seu estorço indeterminado não fixar a si mesmo os seus limites.

O erro só é bom enquanto somos jovens. À medida que avançamos na idade, não convém que o arrastemos atrás de nós.

É melhor estar triste com amor, do que alegre sem ele.

Creio que o homem sonha unicamente para não deixar de ver; pode acontecer que um dia jorre a luz interior em nós e nenhuma outra nos será mais necessária.

Nem todos os caminhos são para todos os caminhantes.

Sou uma parte dessa força que embora deseje o mal, no entanto, origina o bem.

Nada descreve melhor o caráter dos homens do que aquilo que eles acham ridículo.

Não basta dar os passos que nos devem levar um dia ao objetivo, cada passo deve ser ele próprio um objetivo em si mesmo, ao mesmo tempo que nos leva para diante.