Sobre o Autor

Honoré de Balzac

Honoré de Balzac (20 de maio de 1799 - 18 de agosto de 1850), foi um romancista francês.

A chave de todas as ciências é inegavelmente o ponto de interrogação.

É tão natural destruir o que não se pode possuir, negar o que não se compreende, insultar o que se inveja.

É possível amar e não ser feliz, é possível ser feliz e não amar, mas amar e simultaneamente ser feliz, isso seria milagre.

Estamos habituados a julgar os outros por nós próprios, e se os absolvemos complacentemente dos nossos defeitos, condenamo-los com severidade por não terem as nossas qualidades.

As lágrimas dos velhos são tão terríveis como as das crianças são naturais.

A constância é o fundo da virtude.

Não há dor que o sono não consiga vencer.

Deus é o poeta, os homens são apenas os actores.

Frequentemente tive a ocasião de observar que quando a beneficência não prejudica o benfeitor, mata o beneficiado.

Nenhum homem conseguiu descobrir a forma de dar um conselho amigo a uma mulher, nem mesmo à dele próprio.

O casamento deve combater incessantemente um monstro que devora tudo: o hábito.

Para não corar diante da sua vítima, o homem, que começou por feri-la, mata-a.

A admiração é sempre um cansaço para a espécie humana.

A avareza é um nó corredio que aperta cada dia mais o coração e acaba por sufocar a razão.

O infortúnio é um degrau para o génio, uma piscina para o cristão, um tesouro para o homem hábil e um abismo para o fraco.

A duração de uma paixão é proporcional à resistência original da mulher.

Nunca comeces o casamento por uma violação.

A verdade literária nunca poderá ser a verdade da natureza.

A liberdade leva à desordem, a desordem à repressão, e a repressão novamente à liberdade.

É mais fácil ser amante do que ser marido, pela simples razão de que é mais difícil ter espírito diariamente do que dizer coisas bonitas de vez em quando.

É mais fácil ser-se amante que marido, pela simples razão de que é mais difícil ter espírito todos os dias do que dizer coisas bonitas de quando em quando.

Os pintores só devem meditar com os pincéis na mão.

A alegria só pode brotar de entre as pessoas que se sentem iguais.

O matrimónio é como um processo judicial: um lado está sempre insatisfeito.

A administração é a arte de aplicar as leis sem lesar os interesses.

Nas grandes crises, o coração parte-se ou endurece.

Mesmo à mulher mais faladora, o amor ensina a calar.

O tempo é o único capital das pessoas que têm como fortuna apenas a sua inteligência.

Censuram-se severamente defeitos à virtude, ao passo que se não poupa indulgência para as qualidades do vício.

As dívidas são bonitas nos moços de vinte e cinco anos; mais tarde, ninguém lhas perdoa.