Nas grandes crises, o coração parte-se ou endurece.

Sobre o Autor

Honoré de Balzac

Honoré de Balzac (20 de maio de 1799 - 18 de agosto de 1850), foi um romancista francês.

Mais frases de Honoré de Balzac

A infelicidade tem isto de bom: faz-nos conhecer os verdadeiros amigos.

É mais fácil ser amante do que marido, pois é mais fácil dizer coisas bonitas de vez em quando do que ser espirituoso dias e anos a fio..

Lady Astor: Se você fosse meu marido, Winston, eu envenenaria o seu chá. Winston Churchill: Se eu fosse o seu marido, Nancy, eu tomaria esse chá.

Nunca devemos julgar as pessoas que amamos. O amor que não é cego, não é amor.

O homem começa a morrer na idade em que perde o entusiasmo.

O incapaz se cobre; o rico se enfeita; o presunçoso se disfarça; o elegante se veste.

O instinto na mulher, equivale a perspicácia nos grandes homens.

O bom marido nunca deve ser o primeiro a adormecer à noite, nem o último a acordar pela manhã.

Quanto mais criticamos menos amamos.

A ilusão é uma fé desmedida.

Os pintores só devem pintar com os pincéis na mão.

Quando todo o mundo é corcunda, o belo porte torna-se a monstruosidade.

O coração das mães é um abismo no fundo do qual se encontra sempre um perdão.

O poder deixa-nos tal como somos e apenas engrandece os grandes.

Um Eu demasiado poderoso é uma prisão da qual um homem deve evadir-se se deseja gozar plenamente os bens deste mundo.

O remorso é uma impotência, ele voltará a cometer o mesmo pecado. Apenas o arrependimento é uma força que põe termo a tudo.

Na vida de um homem não há dois momentos de prazer parecidos, tal como não há duas folhas na mesma árvore exactamente iguais.

Os negócios não assentam nos sentimentos.

As paixões perdoam tão pouco quanto as leis humanas, e raciocinam com mais justeza: não se apoiam elas numa consciência que lhes é própria, infalível como o é um instinto?

O pensamento, único tesouro que Deus põe fora do alcance de todo o poder e guarda como um elo secreto entre os infelizes e Ele próprio.

Os homens estimam-vos conforme a vossa utilidade, sem terem em conta o vosso valor.

Sentir, amar, sofrer, devotar-se, será sempre o texto da vida das mulheres.

As tias, as mães e as irmãs têm uma jurisprudência particular com os seus sobrinhos, os seus filhos e os seus irmãos.

Todo aquele que contribui com uma pedra para a edificação das ideias, todo aquele que denuncia um abuso, todo aquele que marca os maus, para que não abusem, esse passa sempre por ser imoral.

Da maciez de uma esponja molhada até à dureza de uma pedra-pomes, existem infinitas nuances. Eis o homem.

O ódio, tal como o amor, alimenta-se com as menores coisas, tudo lhe cai bem. Assim como a pessoa amada não pode fazer nenhum mal, a pessoa odiada não pode fazer nenhum bem.

Os avarentos não crêem numa vida por vir, para eles o presente é tudo.

O ódio tem melhor memória do que o amor.

As pessoas generosas são más comerciantes.

Os superiores nunca perdoam aos inferiores que ostentam a aparência da sua grandeza.

Esse privilégio de sentir-se em casa em qualquer lugar pertence apenas aos reis, às prostitutas e aos ladrões.

O dinheiro só é poder quando existente em quantidades desproporcionadas.

As pessoas importantes fazem sempre mal em se divertir à custa dos inferiores. A troça é um jogo, e o jogo pressupõe a igualdade.

Muitos homens têm um orgulho que os leva a ocultar os seus combates e apenas a mostrarem-se vitoriosos.

Os pais devem dar sempre para serem felizes. Dar sempre é o que faz que sejamos pais.

O amante é um arauto que proclama onde existe o mérito, o espírito ou a beleza de uma mulher. Que proclama um marido?

Um amante revela a qualquer mulher tudo quanto o marido lhe oculta.

Uma mulher nua seria menos perigosa do que é uma saia habilmente exibida, que cobre tudo e, ao mesmo tempo, deixa tudo à vista.

O poder é uma ação, e o princípio eletivo é o da discussão. Não há política possível com uma discussão permanente.

A avareza começa onde termina a pobreza.

O amor é a única paixão que não admite nem passado nem futuro.

A necessidade é com frequência a espora do génio.

As mulheres vêem tudo ou não vêem nada, segundo as disposições da sua alma: a única luz delas é o amor.

O homem morre a primeira vez quando perde o entusiasmo.

A dor enobrece as pessoas mais vulgares, porque ela tem a sua grandeza, e, para receber o seu brilho, basta ser verdadeira.

Considero a família e não o indivíduo como o verdadeiro elemento social (arriscando-me a ser julgado como espírito retrógrado).

O dinheiro nunca falta para os nossos caprichos; somente discutimos o preço das coisas úteis e necessárias.

Para um homem apaixonado, toda a mulher vale quanto ela lhe custa.

O ciúme é a única paixão que os homens perdoam ao belo sexo, porque os lisonjeia.

Assim como o médico não deixa ver nada das suas apreensões ao seu paciente, da mesma forma o advogado mostra sempre uma fisionomia cheia de esperança ao seu cliente. É um desses casos raros em que a mentira se torna virtude.

A educação pública nunca resolve o difícil problema do desenvolvimento simultâneo do corpo e da inteligência.

O amor ou não desculpa nada ou desculpa tudo.

O acaso é o maior romancista do mundo; para se ser fecundo, basta estudá-lo.

Seja no que for, apenas poderemos ser julgados pelos nossos pares.

A dor é como uma dessas varetas de ferro que os escultores enfiam no meio do barro, ela sustém, é uma força!

A gratidão é uma dívida que os filhos nem sempre aceitam no inventário.

Os ricos pretendem não se admirar com nada, e reconhecem, à primeira vista, numa obra bela o defeito que os dispensará da admiração, um sentimento vulgar.

O ódio sem desejo de vingança é um grão caído sobre o granito.

O verdadeiro amor, como se sabe, é impiedoso.

Terrível condição do homem! Não há uma das suas felicidades que não provenha de uma ignorância qualquer.

O mal do nosso tempo é a superioridade. Há mais santos do que nichos.

Os grandes erram sempre ao brincar com os seus inferiores. A brincadeira é um jogo, e um jogo pressupõe igualdade.

Um vício custa mais caro que manter uma família.

É tão absurdo dizer que um homem não pode amar a mesma mulher toda a vida, quanto dizer que um violinista precisa de diversos violinos para tocar a mesma música.

A igualdade pode ser um direito, mas não há poder sobre a Terra capaz de a tornar um fato.

Não haverá, entre um espírito que abarrota de invenções alheias e outro que inventa por si próprio, a mesma diferença que vai de um recipiente que se enche de água à fonte que a fornece?

O amor é a poesia dos sentidos. Ou é sublime, ou não existe. Quando existe, existe para sempre e vai crescendo dia a dia.

As dívidas são bonitas nos moços de vinte e cinco anos; mais tarde, ninguém lhas perdoa.

Censuram-se severamente defeitos à virtude, ao passo que se não poupa indulgência para as qualidades do vício.

O tempo é o único capital das pessoas que têm como fortuna apenas a sua inteligência.

Mesmo à mulher mais faladora, o amor ensina a calar.

Nas grandes crises, o coração parte-se ou endurece.

A administração é a arte de aplicar as leis sem lesar os interesses.

O matrimónio é como um processo judicial: um lado está sempre insatisfeito.

A alegria só pode brotar de entre as pessoas que se sentem iguais.

Os pintores só devem meditar com os pincéis na mão.

É mais fácil ser-se amante que marido, pela simples razão de que é mais difícil ter espírito todos os dias do que dizer coisas bonitas de quando em quando.

É mais fácil ser amante do que ser marido, pela simples razão de que é mais difícil ter espírito diariamente do que dizer coisas bonitas de vez em quando.

A liberdade leva à desordem, a desordem à repressão, e a repressão novamente à liberdade.

A verdade literária nunca poderá ser a verdade da natureza.

Nunca comeces o casamento por uma violação.

A duração de uma paixão é proporcional à resistência original da mulher.

O infortúnio é um degrau para o génio, uma piscina para o cristão, um tesouro para o homem hábil e um abismo para o fraco.

A avareza é um nó corredio que aperta cada dia mais o coração e acaba por sufocar a razão.

A admiração é sempre um cansaço para a espécie humana.

Para não corar diante da sua vítima, o homem, que começou por feri-la, mata-a.

O casamento deve combater incessantemente um monstro que devora tudo: o hábito.

Nenhum homem conseguiu descobrir a forma de dar um conselho amigo a uma mulher, nem mesmo à dele próprio.

Frequentemente tive a ocasião de observar que quando a beneficência não prejudica o benfeitor, mata o beneficiado.

Deus é o poeta, os homens são apenas os actores.

Não há dor que o sono não consiga vencer.

A constância é o fundo da virtude.

As lágrimas dos velhos são tão terríveis como as das crianças são naturais.

Estamos habituados a julgar os outros por nós próprios, e se os absolvemos complacentemente dos nossos defeitos, condenamo-los com severidade por não terem as nossas qualidades.

É possível amar e não ser feliz, é possível ser feliz e não amar, mas amar e simultaneamente ser feliz, isso seria milagre.

É tão natural destruir o que não se pode possuir, negar o que não se compreende, insultar o que se inveja.

A chave de todas as ciências é inegavelmente o ponto de interrogação.

A felicidade só cria recordações.

Quando o despotismo está nas leis, a liberdade encontra-se nos costumes, e vice-versa.

O homem não é bom nem mau, nasce com instintos e aptidões.

Pode-se perdoar, mas esquecer, isso, é impossível.

A longo prazo uma profissão é como o matrimónio; apenas se sentem os inconvenientes.

Engatar uma mulher é de certeza mais fácil do que ver-se livre dela.

Talvez o amor seja apenas o reconhecimento do prazer.

O poder não consiste em bater muito ou muitas vezes, mas em acertar em cheio.

Ninguém ousa dizer adeus aos seus próprios hábitos. Muitos suicidas detiveram-se no limiar da morte ao pensar no café onde vão todas as noites jogar a sua partida de dominó.

Apenas um homem de génio ou um intriguista se atrevem a dizer: «Fiz mal». O interesse e o talento são os únicos conselheiros conscenciosos e lúcidos.

Não há dor que o sono não possa vencer.

Os costumes são a hipocrisia de uma nação.

O mundo, que não é causador de nenhum bem, é cúmplice de muitas infelicidades; depois, quando vê eclodir o mal que ele maternalmente chocou, renega-o e vinga-se.

Nunca a polícia terá espiões comparáveis aos que se colocam ao serviço do ódio.

Os escolares preocupam-se em segredo com o mesmo que preocupa as raparigas nos internatos; faça-se o que se fizer, elas falarão sempre do amor, aqueles das mulheres.

Deve-se deixar a vaidade aos que não têm outra coisa para exibir.

A glória é o sol dos mortos.

Para os doentes, o mundo começa na cabeceira e acaba no pé da sua cama.

Um marido, como um governo, nunca deve confessar os seus erros.

A glória é um veneno que se deve tomar em pequenas doses.

Há algo tocante na associação de dois seres para suportar a vida.

A Justiça, ninguém ignora, tem a pressa de um cágado manco.

As leis são teias de aranha pelas quais as moscas grandes passam e as pequenas ficam presas.

Nunca um marido será vingado tão bem como pelo amante da sua mulher.

A infelicidade tem isto de bom: faz-nos conhecer os verdadeiros amigos.

Se não estamos diante dos homens, estamos sempre diante de Deus e temos tanta necessidade de nossa própria estima quanto da do mundo.

As mulheres, como as crianças, acham que tudo lhes é devido.

O sentimento que o homem suporta com mais dificuldade é a piedade, principalmente quando a merece. O ódio é um tónico, faz viver, inspira vingança; mas a piedade mata, enfraquece ainda mais a nossa fraqueza.

A liberdade de escolha é um direito de todos, mas só alguns a exercem com elegância.

Não existem grandes talentos sem grande vontade.

A resignação é um suicídio cotidiano.

A duração da paixão é proporcional à resistência original da mulher.

O amor é um poema essencialmente pessoal.

O amor é a poesia dos sentidos. Ou é sublime, ou não existe. Quando existe, existe para todo o sempre e aumenta cada vez mais.

Em política, perseguir um homem não é apenas engrandecê-lo, mas também justificar-lhe o passado.

Todas as faltas, e talvez, os crimes, têm, por princípio, um raciocínio errado ou algum excesso de egoísmo.

Uma noite de amor é um livro a menos lido.

A maior felicidade para o ser humano é de poder viver para aquilo pelo qual estaria pronto a morrer.

A resignação é um suicído cotidiano.

A maioria das pessoas de ação estão inclinadas ao fatalismo, a maioria dos pensadores acredita na providência.

Já deserdado de todo o afeto, não podia mostrar a minha estima a ninguém, e, contudo, a natureza me fizera sensível!

É tão natural destruir o que não se pode possuir, negar o que não se compreende, insultar o que se inveja.

Frequentemente chorava ao passear naquele jardim, agora demasiado estreito para ela, como o pátio, a casa, a cidade: lançava-se antecipadamente pela vasta extensão dos mares.

Ali estão os dramas do silêncio.

Tamanha fortuna cobria com um manto de ouro todas as ações daquele homem.

Seus sentimentos, magoados sem que elas o percebessem, mas vivazes, o segredo de sua existência, tornavam-na exceções curiosas naquela reunião de pessoas cuja a vida era puramente material.

Aos 22 anos os jovens estão ainda muito próximos da infância e, consequentemente, deixam-se levar por infantilidades.

Mas o homem que enxerga dois séculos na frente de seu tempo morre na forca...

Oh! Gritarei a verdade mesmo no meu silêncio.

Que os anjos construam hospitais para as almas sofredoras. Enquanto não o fazem, construirei para elas um palácio de sonhos.

(...) As moças com frequenciacriam imagens nobres, deslumbrantes,figuras totalmente ideais,e forjam idéias quiméricas acerca dos homens, dos sentimentos, do mundo; depois atribuem inocentemente a um caráter as perfeições que sonharam, e entregam-se a isso, amam no homem que escolheram essa criatura imaginária; porém, mais tarde, quando não há mais tempo de livrar-se do infortúnio, a enganadora aparência que embelezaram, seu primeiro ídolo, transforma-se enfim num esqueleto odioso. (...)

Quem conheceu a mais exigente das paixões, aquela cuja duração é cada dia abreviada pela idade, pelo tempo, por uma doença mortal, por algumas das fatalidades humanas, compreenderá os tormentos de Eugênia.

O olhar de um homem acostumado a tirar de seus capitais um juro enorme adquire necessariamente, como o do libertino, o do jogador ou o do cortesão, certos hábitos indefiníveis, movimentos furtivos, ávidos, misteriosos, que não escapam aos correligionários. Essa linguagem constitui de certo modo a maçonaria das paixões.

Esse homem é o soldado armado com a espada e eu sou o soldado armado com a pena... Mas eu triunfarei onde Napoleão foi derrotado, pois conquistarei o mundo.

As lágrimas são tão contagiantes quanto o riso.

Em qualquer situação, as mulheres têm mais causas de sofrimento que o homem, e padecem mais que ele.

Tudo era ele.

O amor é a poesia dos sentidos. Ou é sublime, ou não existe. Quando existe, existe para sempre e vai crescendo dia a dia.

É tão mais fácil negar o que não se compreende(...)

É tão mais fácil destruir o que não se pode possuir, negar o que não se compreende, insultar o admirável.