Sobre o Autor

François La Rochefoucauld

Escritor francês. (15 de setembro de 1613 -17 de março de 1680)

Um homem sensato pode apaixonar-se como um doido, mas não como um tolo.

No amor, o engano vai quase sempre mais longe do que a desconfiança.

A ausência apaga as pequenas paixões e fortalece as grandes.

A vingança procede sempre da fraqueza da alma, que não é capaz de suportar as injúrias.

O orgulho não quer dever e o amor próprio não quer pagar.

Raramente conhecemos alguma pessoa de bom senso além daquelas que concordam conosco.

Todos temos força suficiente para agüentar os infortúnios dos outros.

O primeiro dos bens, depois da saúde, é a paz interior.

O amor é como fogo: para que dure é preciso alimentá-lo.

Nos ciúmes existe mais amor-próprio do que verdadeiro amor.

Nada é tão contagioso como o exemplo.

A verdadeira coragem está em fazermos sem testemunha o que seríamos capazes de fazer diante de todo mundo.