Fernando Pessoa foi um poeta e escritor português, nascido em Lisboa. É considerado um dos maiores poetas da língua portuguesa e da literatura universal.

Fernando Pessoa foi um poeta e escritor português, nascido em Lisboa. É considerado um dos maiores poetas da língua portuguesa e da literatura universal.

Frases e Pensamentos

596 frases no total. Página 9/20, de 241-270

    "Matar o sonho é matarmo-nos. É mutilar a nossa alma. O sonho é o que temos de realmente nosso, de impenetravelmente e inexpugnavelmente nosso."

        Fernando Pessoa

    "Não sei o que sinto, não sei o que quero, não sei o que penso nem o que sou."

        Fernando Pessoa

    "Esperar pelo melhor é preparar#8209;se para o perder: eis a regra. O pessimismo é bem grande, é fonte de energia."

        Fernando Pessoa

    " Adoramos a perfeição, porque não a podemos ter, repugna-la-íamos, se a tivéssemos. O perfeito é desumano, porque o humano é imperfeito. "

        Fernando Pessoa

    "Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é."

        Fernando Pessoa

    "Por que é que, pra ser feliz,
    É preciso não sabê-lo?"

        Fernando Pessoa

    "O amor quer a posse, mas não sabe o que é a posse. Se eu não sou meu, como serei teu, ou tu minha? Se não possuo o meu próprio ser, como possuirei um ser alheio? Se sou já diferente daquele de quem sou idêntico, como serei idêntico daquele de quem sou diferente? O amor é um misticismo que quer praticar-se, uma impossibilidade que só é sonhada como devendo ser realizada.

    in O Rio da Posse"

        Fernando Pessoa

    "Persiga um sonho, mas não deixe ele viver sozinho.

    Descubra-se todos os dias, deixe-se levar pelas vontades, mas não enlouqueça por elas.

    Procure, sempre procure o fim de uma história, seja ela qual for.

    Dê um sorriso para quem esqueceu como se faz isso.

    Acelere seus pensamentos, mas não permita que eles te consumam.

    Olhe para o lado, alguém precisa de você.

    Abasteça seu coração de fé, não a perca nunca.

    Mergulhe de cabeça nos seus desejos e satisfaça-os.

    Procure os seus caminhos, mas não magoe ninguém nessa procura.

    Arrependa-se, volte atrás, peça perdão!

    Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário.

    Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.

    Se achar que precisa voltar, volte!

    Se perceber que precisa seguir, siga!

    Se estiver tudo errado, comece novamente.

    Se estiver tudo certo, continue.

    Se sentir saudades, mate-a.

    Se perder um amor, não se perca!

    Se achá-lo, segure-o!"

        Fernando Pessoa

    "Tão abstrata é a idéia do teu ser...

    Dobre - Peguei no meu coração...

    Quem te disse ao ouvido esse segredo...

    Abdicação: Toma-me, ó noite eterna...

    Dorme enquanto eu velo... deixa-me sonhar...

    Põe as mãos nos ombros... beija-me na fronte...

    Ao longe, ao luar, no rio uma vela...

    Sonho. Não sei quem sou neste momento...

    Contemplo o lago mudo que uma brisa estremece...

    Gato que brincas na rua como se fose na cama...

    Não: não digas nada!

    Vaga, no azul amplo solta, vai uma nuvem errando...

    O Andaime: O tempo que eu hei sonhado...

    Sorriso audível das folhas...

    Autopsicografia: O poeta é um fingidor...

    O que me dói não é o que há no coração...

    Entre o sono e o sonho...

    Tudo o que faço ou medito fica sempre na metade.

    Tenho tanto sentimento que...

    Viajar! Perder países!

    Grandes mistérios habitam o limiar do meu ser...

    Fresta: Em meus momentos escuros...

    Eros e Psique: Conta a lenda que dormia uma princesa...

    Teus olhos entristecem. Nem ouves o que digo...

    Liberdade: Ai que prazer não cumprir um dever...

    Hora Absurda - O teu silêncio é uma nau..."

        Fernando Pessoa

    "Que suave é o ar!
    Como parece
    Que tudo é bom na vida que há!
    Assim meu coração pudesse
    Sentir essa certeza já.
    Mas não; ou seja a selva escura
    Ou seja um Dante mais diverso,
    A alma é literatura
    E tudo acaba em nada e verso."

        Fernando Pessoa

    "Chove. Há silêncio, porque a mesma chuva
    Não faz ruído senão com sossego.
    Chove. O céu dorme. Quando a alma é viúva
    Do que não sabe, o sentimento é cego.
    Chove. Meu ser (quem sou) renego…

    Tão calma é a chuva que se solta no ar
    (Nem parece de nuvens) que parece
    Que não é chuva, mas um sussurrar
    Que de si mesmo, ao sussurrar, se esquece.
    Chove. Nada apetece…

    Não paira vento, não há céu que eu sinta.
    Chove longínqua e indistintamente,
    Como uma coisa certa que nos minta,
    Como um grande desejo que nos mente.
    Chove. Nada em mim sente…"

        Fernando Pessoa

    " O meu passado é tudo quanto não consegui ser. Nem as sensações de momentos idos me são saudosas: o que se sente exige o momento; passado este, há um virar de página e a história continua, mas não o texto."

        Fernando Pessoa

    "Porque sentir é como o céu,
    Vê-se mais não há nele que ver."

        Fernando Pessoa

    "O meu coração quebrou-se
    Como um bocado de vidro
    Quis viver e enganou-se..."

        Fernando Pessoa

    "E a minha alma alegra-se com seu sorriso, um sorriso amplo e humano, como o aplauso de uma multidão"

        Fernando Pessoa

    "Somos do tamanho que sonhamos."

        Fernando Pessoa

    "Saber não ter ilusões é absolutamente necessário para se poder ter sonhos."

        Fernando Pessoa

    "Há tanta suavidade em nada dizer e tudo entender..."

        Fernando Pessoa

    "Tudo aquilo que é realmente nosso nunca se vai para sempre."

        Fernando Pessoa

    "Mesmo a ausência dele é uma coisa que está comigo. E eu gosto tanto dele que não sei como o desejar."

        Fernando Pessoa

    "Manda quem não sente. Vence quem pensa só o que precisa para vencer."

        Fernando Pessoa

    "Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares."

        Fernando Pessoa

    "Para ser grande, sê inteiro"

        Fernando Pessoa

    "Tenho feito filosofias em segredo que nenhum Kant escreveu"

        Fernando Pessoa

    "Aquele que conheceu apenas a uma MULHER E AMOU DE VERDADE, sabe muito mais das mulheres doque aquele que conheceu a mil."

        Fernando Pessoa

    "Sobre as emoções tenho curiosidade. Sobre os fatos, quaisquer que venham a ser, não tenho curiosidade alguma."

        Fernando Pessoa

    "Não sei quantas almas tenho.
    Cada momento mudei.
    Continuamente me estranho.
    Nunca me vi nem acabei."

        Fernando Pessoa

    "Não é por nada que olho: é que eu gosto de ver as pessoas sendo."

        Fernando Pessoa

    "O poeta é um fingidor, finge tão completamente que chega fingir que é dor, a dor que deveras sente"

        Fernando Pessoa

    "A vida é o que fazemos dela. As viagens são os viajantes. O que vemos não é o que vemos, senão o que somos."

        Fernando Pessoa

Biografia


Fernando Pessoa (1888 - 1935) foi um poeta e escritor português, nascido em Lisboa. É considerado um dos maiores poetas da língua portuguesa e da literatura universal.

Aos seis anos de idade, Fernando Pessoa foi para a África do Sul, onde aprendeu perfeitamente o inglês, e das quatro obras que publicou em vida, três são em inglês. Durante sua vida, Fernando Pessoa trabalhou em vários lugares como correspondente de língua inglesa e francesa. Foi também empresário, editor, crítico literário, jornalista, comentador político, tradutor, inventor, astrólogo e publicitário, e ao mesmo tempo produzia suas obras em verso e prosa.

Como poeta, era conhecido por suas múltiplas personalidades, os heterónimos, que eram e são até hoje objeto da maior parte dos estudos sobre sua vida e sua obra.

Fernando Pessoa faleceu em Lisboa, com 47 anos anos de idade, vítima de uma cólica hepática causada por um cálculo biliar associado a cirrose hepática, um diagnóstico hoje é dia é contestado por diversos médicos.

Os principais heterônimos de Fernando Pessoa são:

- Alberto Caeiro, nascido em Lisboa, e era o mais objetivo dos heterônimos. Buscava o objetivismo absoluto, eliminando todos os vestígios da subjetividade. É o poeta que busca "as sensações das coisas tais como são". Opõe-se radicalmente ao intelectualismo, à abstração, à especulação metafísica e ao misticismo. É o menos "culto" dos heterônimos, o que menos conhece a Gramática e a Literatura.

- Ricardo Reis, nascido no Porto, representa a vertente clássica ou neoclássica da criação de Fernando Pessoa. Sua linguagem é contida, disciplinada. Seus versos são, geralmente, curtos. Apóia-se na mitologia greco-romana; é adepto do estoicismo e do epicurismo (saúde do corpo e da mente, equilíbrio, harmonia) para que se possa aproveitar a vida, porque a morte está à espreita. É um médico que se mudou para o Brasil.

- Álvaro de Campos, nascido no Porto, é o lado "moderno" de Fernando Pessoa, caracterizado por uma vontade de conquista, por um amor à civilização e ao progresso. Campos era um engenheiro inativo, inadaptado, com consciência crítica.

"As coisas muito claras me noturnam."

    Manoel de Barros

"Onde não puderes amar, não te demores..."

    Augusto Branco

"Eu não desisti...apenas não insisto mais."

    Cazuza

"Fácil é sonhar todas as noites. Difícil é lutar por um sonho."

    Carlos Drummond de Andrade

"Soltar os demônios pode ser muito educativo em certas ocasiões."

    Deepak Chopra

"O sexo é o alívio da tensão. O amor é a causa"

    Woody Allen

"Os mentirosos estão sempre prontos a jurar."

    Vittorio Alfieri

"Todo o homem é culpado do bem que não fez."

    Voltaire

"Vento

Pastor das nuvens."

    Mario Quintana

"A maior felicidade é quando a pessoa sabe porque é que é infeliz."

    Fiódor Dostoiévski