Clarice Lispector (1920 - 1977), escritora brasileira de origem judia nascida na Ucrânia

Clarice Lispector (1920 - 1977), escritora brasileira de origem judia nascida na Ucrânia

Frases e Pensamentos

1645 frases no total. Página 4/55, de 91-120

    "meu trabalho é o de viver os meus prazeres e as minhas dores. É necessário que eu tenha a modéstia de viver."

        Clarice Lispector

    "A saudade é um dos sentimentos mais urgentes que existem"

        Clarice Lispector

    "Não é só o céu.
    Também chovo vez ou outra."

        Clarice Lispector

    "Mas vale a pena, mesmo que doa."

        Clarice Lispector

    "Liberdade é pouco,o que desejo ainda não tem nome"

        Clarice Lispector

    "Eu sei mas não devia

    Eu sei que a gente se acostuma. Mas não devia. A gente se acostuma a morar em apartamentos de fundos e a não ter outra vista que não as janelas ao redor.

    E porque não tem vista, logo se acostuma a não abrir de todo as cortinas. E porque não olha pra fora, logo se acostuma a aceder cedo a luz.
    E a medida que se acostuma, esquece o sol, esquece o ar, esquece a amplidão. A gente se acostuma a acordar de manhã sobressaltado porque está na hora.

    A tomar café correndo porque está atrasado. A ler o jornal no ônibus porque não pode perder o tempo da viagem.
    A comer sanduiche porque não dá para almoçar. A sair do trabalho porque já é noite. A cochilar no ônibus porque está cansado. A deitar cedo e dormir pesado sem ter vivido o dia. A gente se acostuma a esperar o dia inteiro e ouvir no telefone. Hoje não posso ir.

    A sorrir para as pessoas sem receber um sorriso de volta.
    A ser ignorado quando precisava tanto ser visto.
    A gente se acostuma a pagar por tudo o que deseja e o de que necessita. E a lutar para ganhar dinheiro com que pagar. E a pagar mais do que as coisas valem. E a saber que cada vez pagará mais. E a procurar mais trabalho, para ganhar mais dinheiro, para ter com que pagar nas filas em que se cobra.

    A gente se acostuma à poluição. Às salas fechadas de ar condicionado e cheiro de cigarro. À luz artificial de ligeiro tremor. Ao choque que os olhos levam na luz natural. Às bactérias da água potável. A gente se acostuma a coisas demais, para não sofrer. Em doses pequenas, tentando não perceber, vai afastando uma dor aqui, um ressentimento ali, uma revolta acolá.

    Se a praia está contaminada a gente molha só os pés e sua no resto do corpo. Se o cinema está cheio, a gente senta na primeira fila e torce um pouco o pescoço. Se o trabalho está duro a gente se consola pensando no fim de semana.

    E se no fim de semana não há muito o que fazer a gente vai dormir cedo e ainda fica satisfeito porque tem sempre sono atrasado.

    A gente se acostuma para não se ralar na aspereza, para preservar a pele. Se acostuma para evitar feridas, sangramentos, para poupar o peito. A gente se acostuma para poupar a vida.

    Que aos poucos se gasta, e que, gasta de tanto acostumar, que se perde de si mesmo."

        Clarice Lispector

    "Como eu não sabia o que era, então “não ser” era a minha maior aproximação da verdade: pelo menos eu tinha o lado avesso: eu pelo menos tinha o “não”, tinha o meu oposto. O meu bem eu não sabia qual era, então vivia com algum pré-fervor o que era o meu mal."

        Clarice Lispector

    "Vi, sim. Vi, e me assustei com a verdade bruta de um mundo cujo maior horror é que ele é tão vivo que, para admitir que estou tão viva quanto ele - e minha pior descoberta é que estou tão viva quanto ele - terei que alçar minha consciência de vida exterior a um ponto de crime contra a minha vida pessoal."

        Clarice Lispector

    "Sinto saudades de quem me deixou e de quem eu deixei! De quem disse que viria e nem apareceu; de quem apareceu correndo, sem me conhecer direito, de quem nunca vou ter a oportunidade de conhecer."

        Clarice Lispector

    "Liberdade é pouco,o que desejo ainda não tem nome"

        Clarice Lispector

    "Há um livro em cada um de nós."

        Clarice Lispector

    "Só agora sei que eu já tinha tudo, embora do modo contrário: eu me dedicava a cada detalhe do não. Detalhadamente não sendo, eu me provava que - que eu era."

        Clarice Lispector

    "Tão carente que só o amor de todo o universo por mim poderia me consolar e me cumular."

        Clarice Lispector

    "Tão carente que só o amor de todo o universo por mim poderia me consolar e me cumular,"

        Clarice Lispector

    "Ir para o sono se parece tanto com o modo como agora tenho de ir para a minha liberdade. Entregar-me ao que não entendo será pôr-me à beira do nada."

        Clarice Lispector

    "Nunca houve – em todo o passado do mundo – alguém que fosse como ela. E depois, em três trilhões de trilhões de anos – não haveria uma moça exatamente como ela."

        Clarice Lispector

    "Ora, não sou linda. Mas quando estou cheia de esperança, então de minha pessoa se irradia algo que talvez se possa chamar de beleza."

        Clarice Lispector

    "Talvez desilusão seja o medo de não pertencer mais a um sistema.
    No entanto se deveria dizer assim: ele está muito feliz porque finalmente foi desiludido."

        Clarice Lispector

    "Como pode uma pessoa ser fiel ao lado animal de sua natureza, sem enlouquecer!"

        Clarice Lispector

    "Já chamei pessoas próximas de ”amigo” e descobri que não eram… Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada e sempre foram e serão especiais pra mim."

        Clarice Lispector

    "Refugiei-me na doideira porque a razão não me bastava."

        Clarice Lispector

    "Eu presto atenção só por prestar atenção: no fundo eu não quero saber."

        Clarice Lispector

    "É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei o bem, mas não posso dizer."

        Clarice Lispector

    "E eu? Quem sou eu? Como me classificaram? Deram-me um número? Sinto-me numerificada e toda apertada. Mal caibo dentro de mim. Eu sou um euzinho muito mixa. Mas com certa classe..."

        Clarice Lispector

    "E acima de todas as pessoas do mundo está você, que eu não comparo com ninguém."

        Clarice Lispector

    "Sua vida é difícil, mas é sua."

        Clarice Lispector

    "Eu sou um bocado sensível demais."

        Clarice Lispector

    "Quando se realiza o viver, pergunta-se: Mas era só isto? E a resposta é: Não é só isto, é exatamente isto."

        Clarice Lispector

    "Eu me preparava para limpar coisas sujas, mas lidar com aquela ausência me desnorteava."

        Clarice Lispector

    "Eu peço a Deus tudo o que eu quero e preciso. É o que me cabe. Ser ou não ser atendida — isso não me cabe a mim."

        Clarice Lispector

Biografia


Clarice Lispector (Tchetchelnik Ucrânia 1925 - Rio de Janeiro RJ 1977) passou a infância em Recife e em 1937 mudou-se para o Rio de Janeiro, onde se formou em direito. Estreou na literatura ainda muito jovem com o romance Perto do Coração Selvagem (1943), que teve calorosa acolhida da crítica e recebeu o Prêmio Graça Aranha.

Em 1944, recém-casada com um diplomata, viajou para Nápoles, onde serviu num hospital durante os últimos meses da Segunda Guerra. Depois de uma longa estada na Suíça e Estados Unidos, voltou a morar no Rio de Janeiro. Entre suas obras mais importantes estão as reuniões de contos A Legião Estrangeira (1964) e Laços de Família (1972) e os romances A Paixão Segundo G.H. (1964) e A Hora da Estrela (1977).

Clarice Lispector começou a colaborar na imprensa em 1942 e, ao longo de toda a vida, nunca se desvinculou totalmente do jornalismo. Trabalhou na Agência Nacional e nos jornais A Noite e Diário da Noite. Foi colunista do Correio da Manhã e realizou diversas entrevistas para a revista Manchete. A autora também foi cronista do Jornal do Brasil. Produzidos entre 1967 e 1973, esses textos estão reunidos no volume A Descoberta do Mundo.

Escreve a crítica francesa Hélène Cixous: "Se Kafka fosse mulher. Se Rilke fosse uma brasileira judia nascida na Ucrânia. Se Rimbaud tivesse sido mãe, se tivesse chegado aos cinqüenta. (...). É nessa ambiência que Clarice Lispector escreve. Lá onde respiram as obras mais exigentes, ela avança. Lá, mais à frente, onde o filósofo perde fôlego, ela continua, mais longe ainda, mais longe do que todo o saber".

"Onde não puderes amar, não te demores..."

    Augusto Branco

"Eu não desisti...apenas não insisto mais."

    Cazuza

"As coisas muito claras me noturnam."

    Manoel de Barros

"Fácil é sonhar todas as noites. Difícil é lutar por um sonho."

    Carlos Drummond de Andrade

"O sexo é o alívio da tensão. O amor é a causa"

    Woody Allen

"Os mentirosos estão sempre prontos a jurar."

    Vittorio Alfieri

"Soltar os demônios pode ser muito educativo em certas ocasiões."

    Deepak Chopra

"Todo o homem é culpado do bem que não fez."

    Voltaire

"A maior felicidade é quando a pessoa sabe porque é que é infeliz."

    Fiódor Dostoiévski

"Vento

Pastor das nuvens."

    Mario Quintana