Sobre o Autor

Cecília Meireles

Cecília Meireles foi uma poetisa e jornalista, e é considerada umas das maiores escritoras brasileiras.

Felicidade, és coisa estranha e dolorosa: Fizeste para sempre a vida ficar triste: Porque um dia se vê que as horas todas passam,e um tempo despovoado e profundo, persiste.

De tanto olhar para longe, não vejo o que passa perto, meu peito é puro deserto. Subo monte, desço monte. Eu ando sozinha ao longo da noite. Mas a estrela é minha.

No mistério do sem-fim Equilibra-se um planeta E, no jardim, um canteiro No canteiro, uma violeta E, sobre ela, o dia inteiro A asa de uma borboleta

O que está perdido na vida Vive atráves da essência do seu ser Que é sustentado pelo poeta Na memória e no verso

Não faças de ti um sonho a realizar.Vai. Sem caminho marcado. Tu és o de todos os caminhos.

TIMIDEZ Basta-me um pequeno gesto, feito de longe e de leve, para que venhas comigo e eu para sempre te leve... - mas só esse eu não farei. Uma palavra caída das montanhas dos instantes desmancha todos os mares e une as terras mais distantes... - palavra que não direi. Para que tu me adivinhes, entre os ventos taciturnos, apago meus pensamentos, ponho vestidos noturnos, - que amargamente inventei. E, enquanto não me descobres, os mundos vão navegando nos ares certos do tempo, até não se sabe quando... e um dia me acabarei.

O pensamento é triste; o amor insuficiente; e eu quero sempre mais do quem nos milagres. Deixo que a terra me sustente: guardo o resto para mais tarde. Deus não fala comigo- e eu sei que me conhece. A antigos ventos dei as lágrimas que tinha. A estrela sobe, a estrela desce... - espero a minha própria vinda. (navego pela memória sem margens. alguém conta a minha história e alguém mata os personagens.)

Eu não tinha este rosto de hoje, assim calmo, assim triste, assim magro, nem estes olhos tão vazios, nem o lábio amargo. Eu não tinha estas mãos sem força, tão paradas e frias e mortas; eu não tinha este coração que nem se mostra. Eu não dei por esta mudança, tão simples, tão certa, tão fácil: Em que espelho ficou perdida a minha face?

No último andar é mais bonito: do último andar se vê o mar. É lá que eu quero morar. O último andar é muito longe: custa-se muito a chegar. Mas é lá que eu quero morar. Todo o céu fica a noite inteira sobre o último andar É lá que eu quero morar. Quando faz lua no terraço fica todo o luar. É lá que eu quero morar. Os passarinhos lá se escondem para ninguém os maltratar: no último andar. De lá se avista o mundo inteiro: tudo parece perto, no ar. É lá que eu quero morar: no último andar.

Provação. Agora eu entendo o que é provação. Provação: significa que a vida está me provando. Mas provação: significa também que estou provando. E provar pode se transformar numa sede cada vez mais insaciável.

Essas e outras mortes ocorridas na família me deram, desde pequenina, uma tal intimidade com a morte que docemente aprendi essas relações entre o Efêmero e o Eterno. Em toda vida, nunca me esforcei por ganhar nem me espantei por perder. A noção ou sentimento da transitoriedade de tudo é o fundamento da minha personalidade.

Há um arco-íris ligando o que sonha e o que entende – e por essa frágil ponte circula um mundo maravilhoso e terrível, que os não iniciados apenas de longe percebem, mas de cuja grandeza se vêem separados por muralhas estranhas, que tanto afastam como atraem.

Há pessoas que nos falam e nem as escutamos, há pessoas que nos ferem e nem cicatrizes deixam, mas há pessoas que simplesmente aparecem em nossas vidas e nos marcam para sempre.

Hoje desaprendo o que tinha aprendido até ontem e que amanhã recomeçarei a aprender

Não vou deixar a porta entre aberta. Vou escancara-la ou fecha-la de vez. Porque pelos vãos, brechas e fendas...passam semiventos, meias verdades e muita insensatez.

Se você errou, peça desculpas... É difícil pedir perdão? Mas quem disse que é fácil ser perdoado?

Meu coração tombou na vida, tal qual uma estrela ferida pela flecha de um caçador.

Navego pela memória sem margens.

Somos um ou dois? As vezes nenhum. E em seguida tantos!

Minha primeira lágrima caiu de dentro dos meus olhos. Tive medo de a enxugar : para não saberes que havia caído.

Chorei pelas gentes perdidas de loucura e orgulho. Depois por minhas visões, por meus gestos. E, finalmente, por nós dois.

Eu quero a memória acesa depois da angústia apagada.

Não queiras ter pátria, não dividas a terra,não arranques pedaços ao mar. Nasce bem alto, que todas as coisas serão tuas...

Sonhar um sonho a dois, e nunca desistir da busca de ser feliz... é para pouco!

Permite que eu volte o meu rosto para um céu maior que este mundo, e aprenda a ser dócil no sonho como as estrelas no seu rumo.

Se não chegas nem pelo sonho, por que insisto em te imaginar?

Penso que sendo o céu redondo, um dia nos encontraremos...

SONHOS DE MENINA A flor com que a menina sonha esta no sonho? ou na fronha? A lua com que a menina sonha é o lindo do sonho ou a lua da fronha?

Não sou alegre nem sou triste: sou poeta.

...Liberdade, essa palavra que o sonho humano alimenta que não há ninguém que explique e ninguém que não entenda...