Sobre o Autor

Augusto Cury

Augusto Jorge Cury (1958), psiquiatra e escritor brasileiro.

Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo. E que posso evitar que ela vá à falência.

Muitos filhos só entenderão que deveriam ter conhecido e amado mais seus pais no dia em que ele fecharem os olhos para sempre.

Não existem pessoas de sucesso e pessoas fracassadas. O que existem são pessoas que lutam pelos seus sonhos ou desistem deles.! :o

Cada seru humano ganhou um status inimaginável, converteu-se num ator exclusivo, num tesouro estraordinário, apesas de seus defeitos.

Sempre quis ser grande, uma estrela com astros gravitando em sua órbita. Percebeu que a busca da fama era tolice. Concluiu que precisava reduzir sua sombra social. Precisava aprender a encontrar grandeza na sua pequenez. (O futuro da Humanidade - Página: 83)

“ – O orgulho é um vírus que contagia a minha mente. - Contagia a todos. Até um psicótico tem idéias de grandeza. - Será que é possível destruir o orgulho? - Não creio. Nossa maior tarefa é controlá-lo. Para finalizar a complexa aula, voltou-se para a face do jovem amigo e completou: - A sabedoria de um ser humano não é definida pelo quanto ele sabe, mas pelo quanto ele tem consciência de que não sabe...” (O futuro da Humanidade - Página: 82)

“ – A sabedoria de um ser humano não está no quanto ele sabe, mas no quanto ele tem consciência de que não sabe. Você tem esta consciência? Após uma pausa, Marco Polo falou, pensativo: - Creio que não. - O que define a nobreza de um ser humano é a sua capacidade de enxergar sua pequenez. Você a enxerga? - Estou tentando – disse Marco Polo, acuado pela inteligência do filósofo. - Nunca pare de tentar.” (O futuro da Humanidade. - Páginas: 80-81)

“Eles se viam pelo menos três vezes por semana.O mendigo e o jovem ficaram tão íntimos que faziam peripécias juntos. Davam verdadeiros espetáculos nas praças, sem procurar platéia. Para eles a vida era uma brincadeira no tempo, uma aventura imperdível. Em alguns momentos pareciam dois palhaços, em outros, duas crianças. Tédio não fazia parte do dicionário deles. As pessoas que assistiam às suas brincadeiras, por viverem numa enfadonha rotina, revisavam suas vidas. Até das coisas simples faziam um show. Quando tomavam sorvete, diziam um para o outro: – Que sabor! Que textura!” (O futuro da Humanidade. - Página: 75)

“Felizmente, ele e o Poeta reuniram suas ruínas e ajudaram-se mutuamente a sobreviver ao demônio da culpa. Saíram pelas estradas, dormiram ao relento e viajaram juntos para o epicentro dos seus terremotos emocionais. Viram as perdas por outros ângulos, aceitaram suas limitações, cantaram, sorriram, brincaram com a vida, deixaram de brigar com ela.” (O futuro da Humanidade. - Página: 65)

“Percebeu também que, no fundo, todos somos abraçados por alguns tentáculos da solidão. Alguns falam muito, mas se calam sobre aspectos íntimos de suas vidas. Concluiu que uma dose de solidão estimula a reflexão, mas a solidão radical estimula a depressão. Compreendeu ainda que, quando o mundo nos abandona, a solidão é tolerável; mas, quando nós mesmos nos abandonamos, ela é insuportável. Falcão rompeu sua solidão, tornou-se companheiro de si mesmo e encontrou um grande amigo, o Poeta.” (O futuro da Humanidade. - Página: 57)

“ – Mais sábios que os homens são os pássaros. Enfrentam as tempestades noturnas, tombam de seus ninhos, sofrem perdas, dilaceram suas histórias. Pela manhã, têm todos os motivos para se entristecer e reclamar, mas cantam agradecendo a Deus por mais um dia. E vocês, portadores de nobre inteligência, que fazem com suas perdas?” (O futuro da Humanidade. - Página: 39)

“O filósofo das ruas estava se tornando mestre de um jovem da elite social. O jovem admirou o mendigo e o mendigo se encantou com o jovem. Começaram a ser amigos. Ambos viviam em mundos distintos, mas foram aproximados pela linguagem universal da sensibilidade e da arte de pensar. Uma fascinante história seria desenhada.” (O futuro da Humanidade. - Página: 29)

“ – Marco Polo, o mundo em que você vive é um teatro. As pessoas freqüentemente representam. Elas se observam o tempo todo, esperando comportamentos previsíveis. Observam gestos, suas roupas, suas palavras. A liberdade é uma utopia. A espontaneidade morreu. Marco Polo jamais pensou que poderia encontrar sabedoria num maltrapilho. Recordou a primeira aula de anatomia, as palavras preconceituosas do seu professor, da psicóloga e da assistente social. Percebeu como somos superficiais ao julgar pessoas diferentes. Compreendeu a própria superficialidade.” (O futuro da Humanidade - Página: 28)

Mais sábios que os homens são os pássaros. Enfrentam as tempestades noturnas, tombam de seus ninhos, sofrem perdas, dilaceram suas histórias. Pela manhã, tem todos os motivos para se entristecer e reclamar, mas cantam agradecendo a Deus por mais um dia.

Ser feliz não é ter uma vida perfeita. Mas usar as lágrimas para irrigar a tolerância. Usar as perdas para refinar a paciência. Usar as falhas para esculpir a serenidade. Usar a dor para lapidar o prazer. Usar os obstáculos para abrir as janelas da inteligência.

Vocês podem calar a minha voz, mas não os meus pensamentos! Vocês podem acorrentar o meu corpo, mas não a minha mente! Não serei plateia desta sociedade doente, serei autor da minha história! Os fracos querem controlar o mundo; os fortes o próprio ser! Os fracos usam as armas, os fortes as ideias.

Reconheceu mais uma vez como seus julgamentos precipitados eram superficiais. (O futuro da Humanidade. - Página 60)

Para mim há uma loucura racional aceita pela sociedade e uma loucura irracional condenada por ela. (O futuro da Humanidade. - Página: 55)

- Não há louco que não seja lúcido e nem lúcido que não seja louco. (O futuro da Humanidade. - Página: 50)

“Convenceu-se de que cada ser humano é uma caixa de segredos a ser explorada.” (O futuro da Humanidade. - Página: 28)

O amor e a admiração só tem profundidade se forem espontâneos,caso contrário produziremos servos e não pessoas livres para decidir.

Quem pensa nas consequência dos seus gestos sabe que as pessoas nos respeitam muito mais pelas imagens que construímos dentro delas do que pelas palavras que proferimos fora delas.

Quem não critica o que crê não lapidará suas crenças,quem não lapida suas crenças será será servo de suas verdades.E se suas verdades forem doentias,certamente será uma pessoa doente.

Nunca alguém tão grande se fez tão pequeno para nos ensinar as mais importantes lições de vida!

Quanto pior for a qualidade da educação, mais relevante será o papel da psiquiatria no terceiro milenio...

Nada é tão perigoso para aprisionar a inteligência do que aceitar passivamente as informações.

Ninguém é digno dos sonhos se não usar suas derrotas para cultivá-los.

Só é digno dos aplausos quem aprender a lidar com as vais que um dia reberá.

Procure a sabedoria e aprenda a escrever os capítulos mais importantes de sua história nos momentos mais difíceis de sua vida.

Um dia, quando encerrar a peça da existência no pequeno palco de um túmulo diante de uma plateia em lágrimas, não quero que digam que ali jaz um homem famoso ou inteligente, mas um ser humano que aprendeu um pouco a vender sonhos para uma sociedade que deixou de sonhar.