André Gide foi um escritor francês, fundador da revista Nouvelle Revue Française e da editora Gallimard. Considerado um dos intelectuais franceses de maior destaque.

André Gide foi um escritor francês, fundador da revista Nouvelle Revue Française e da editora Gallimard. Considerado um dos intelectuais franceses de maior destaque.

Frases e Pensamentos

78 frases no total. Página 1/3, de 1-30

    "Não descobriremos terras novas se não nos atrevermos a perder de vista a margem durante longo tempo."

        André Gide

    "É melhor ser odiado pelo que você é do que ser amado pelo que você não é."

        André Gide

    "A liberdade é difícil de se alcançar, mas o que fazer com a liberdade é muito mais difícil."

        André Gide

    "Toda criatura indica deus, nenhuma o revela"

        André Gide

    "A obra de arte é o exagero da idéia. (“The work of art is the exaggeration of the idea.”)"

        André Gide

    "Tudo já foi dito uma vez, mas como ninguém escuta é preciso dizer de novo."

        André Gide

    "As coisas mais belas são as que inspira a loucura e escreve a razão."

        André Gide

    "A sabedoria não reside na razão mas no amor"

        André Gide

    "O valor de uma coisa só depende da importância que damos a ela."

        André Gide

    "A personalidade dos grandes homens faz-se das suas incompreensões."

        André Gide

    "Toda criatura indica Deus, nenhuma o revela
    In: Os Frutos da Terra"

        André Gide

    "Não gosto dos homens, gosto do que os devora."

        André Gide

    "Tudo quanto nós próprios descobrimos ou voltamos a descobrir são verdades vivas; a tradição convida-nos a aceitar somente os cadáveres da verdade."

        André Gide

    "Que a importância esteja no teu olhar, não naquilo que olhas."

        André Gide

    "Sinto em mim a imperiosa obrigação de ser feliz, mas toda felicidade obtida às custas dos outros me parece odiosa"

        André Gide

    "Nada embriaga como o vinho da infelicidade."

        André Gide

    "Só o ateísmo pode pacificar o mundo de hoje."

        André Gide

    "Acredito na virtude dos pequenos números, o mundo será salvo por um punhado de homens."

        André Gide

    "Encontrar uma boa fórmula não basta, trata-se de não a abandonar."

        André Gide

    "Quem não sabe ser feliz em nada pode contribuir para a felicidade."

        André Gide

    "A experiência ensina mais seguramente que o conselho."

        André Gide

    "Nada torna um rosto mais impenetrável do que a máscara da bondade."

        André Gide

    "Quando já não me indignar, terei começado a envelhecer."

        André Gide

    "As coisas apenas valem pela importância que lhes damos."

        André Gide

    "É próprio do amor (...) ser obrigado a aumentar, sob pena de enfraquecer."

        André Gide

    "É em nome da fé que se mata."

        André Gide

    "As coisas mais belas são ditadas pela loucura e escritas pela razão."

        André Gide

    "Passamos três quartos da vida a preparar a felicidade. Mas quantos gozam o último quarto?."

        André Gide

    "Só nas horas de ócio se fazem coisas excelentes."

        André Gide

    "Para bem julgarmos é preciso afastarmo-nos daquilo que julgamos, depois de havermos estimado. Isto é verdade quanto aos países, aos seres e nós próprios."

        André Gide

Biografia


André Gide nasceu em Paris, em 1869. Cursou a faculdade de Letras e de Filosofia, em Paris, e formou-se em 1889.

Seu primeiro livro “Os cadernos de André Walter”, foi lançado quando tinha apenas 22 anos. Aos 28, lançou “Os alimentos terrestres”, que vendeu pouco na época, mas hoje em dia é muito reconhecido.

Em sua obra são encontrados muitos aspectos autobiográficos, como conflitos morais e religiosos, questões ligadas ao homossexualismo e protestantismo.
Após casar-se com sua prima Madeleine, em 1895, Gide fez uma longa viagem pela Suíça, Itália e Tunísia. No seu retorno, após dois anos, começou a ser colaborador do periódico “L’Ermitage”, escrevendo vários artigos. Em seus artigos, Gide defendia o rigor formal e o classicismo.

Em 1908, juntamente com outros intelectuais da época, Gide fundou a "Nouvelle Revue Française", uma das revistas mais conhecidas e renomadas da Europa. Em 1911, fundou a famosa editora Gallimard e publicou o romance “Isabel”.
Foi durante a Primeira Guerra Mundial que Gide teve uma profunda crise religiosa, que resultou na publicação de “Os Subterrâneos do Vaticano", um romance extremamente irônico.

Com o fim da guerra, o autor obteve muito reconhecimento do meio intelectual. Em 1919 publicou “A sinfonia pastoral”, considerado por muitos como sua obra-prima. Sempre muito ligado aos acontecimentos políticos, engajado, Gide manifestou-se contra o colonialismo e se lançou em defesa do comunismo. Após uma viagem à URSS, denunciou os crimes de Stalin, no livro "Retour de l'URSS".

Em 1947, Gide recebeu o Prêmio Nobel de Literatura, além de ter se tornado doutor honoris causa pela Universidade de Oxford.

Escreveu outras obras, como "Os Moedeiros Falsos", “Os Frutos da Terra", "Saul" e "A Volta do Filho Pródigo”. Traduziu a obra de Shakespeare “Hamlet” e fez uma adaptação de “O processo”, de Kafka, para o teatro.

Gide faleceu em 1951, de problemas cardíacos.

"Onde não puderes amar, não te demores..."

    Augusto Branco

"Eu não desisti...apenas não insisto mais."

    Cazuza

"As coisas muito claras me noturnam."

    Manoel de Barros

"Fácil é sonhar todas as noites. Difícil é lutar por um sonho."

    Carlos Drummond de Andrade

"Os mentirosos estão sempre prontos a jurar."

    Vittorio Alfieri

"Soltar os demônios pode ser muito educativo em certas ocasiões."

    Deepak Chopra

"O sexo é o alívio da tensão. O amor é a causa"

    Woody Allen

"Todo o homem é culpado do bem que não fez."

    Voltaire

"A maior felicidade é quando a pessoa sabe porque é que é infeliz."

    Fiódor Dostoiévski

"Vento

Pastor das nuvens."

    Mario Quintana