Sobre o Autor

Anatole France

Jacques Anatole François Thibault, mais conhecido como Anatole France (16 de abril de 1844 em Paris - 12 de outubro de 1924 em Saint-Cyr-sur-Loire) foi um escritor francês. Seus livros apresentam um tom céptico.

“Para conseguir grandes coisas, é necessário não apenas planejar, mas também acreditar; não apenas agir, mas também sonhar”.

O coração dá vida a tudo que ama.

De todas as aberrações sexuais, a castidade é a mais estranha

Educação não é o quanto você tem guardado na memória, nem mesmo o quanto você sabe. É ser capaz de diferenciar entre o que você sabe e o que você não sabe.

Eu prefiro o erro do entusiasmo à indiferença do bom senso.

Para realizar grandes coisas, precisamos sonhar do mesmo modo que agir.

Para conquistar coisas importantes, devemos não apenas agir mas também sonhar, não apenas planejar mas também acreditar.

O coração põe vida em tudo aquilo que ama.

Se 5 bilhões de pessoas acreditam em uma coisa estúpida, essa coisa continua sendo estúpida.

Viva como aconselhas, diga o que fazes, faça o que dizes.

Os felizes pouco conhecem da vida: a dor é grande mestra dos homens.

O que mais assusta em um insano, é a sua conversa sã.

Prefiro os erros do entusiasmo à indiferença da sabedoria

Pois a mulher é a grande educadora do homem: ensina-lhe as virtudes encantadoras, a polidez, a discrição e essa altivez que teme ser importuna. Ela mostra a alguns a arte de agradar, a todos a arte útil de não desagradar.

A pobreza é indispensável à riqueza, a riqueza é necessária à pobreza. Esses dois males engendram-se um ao outro e sustentam-se um ao outro. O que é preciso não é melhorar a condição dos pobres, mas acabar com ela.

Só se ama verdadeiramente quando se ama sem razão.

As razões de nossos atos são obscuras e os impulsos que nos impelem para a ação ficam profundamente ocultos.

Para realizar grandes conquistas, devemos não apenas agir, mas também sonhar; não apenas planejar, mas também acreditar.

Nada é mais poderoso do que a palavra: o encadeamento de razões fortes e de elevados pensamentos

Antes de ter amado um animal, parte da nossa alma parmanece desacordada.

As grandes obras deste mundo foram sempre realizadas por doidos.

Os homens brigam com mais frequência por via das palavras. É por palavras que eles matam e se fazem matar com maior empenho.

Não há governos populares. Governar é descontentar.

Sem se iludir, a humanidade pereceria de desespero e de tédio.

As ideias de ontem fazem os costumes de amanhã.

Não tenho ilusões sobre os homens, e, para não os odiar, desprezo-os.

O cristianismo fez muito pelo amor ao torná-lo um pecado.

A majestosa igualdade das leis, que proíbe tanto o rico como o pobre de dormir sob as pontes, de mendigar nas ruas e de roubar pão.

Raramente tenho aberto uma porta por descuido sem ter deparado com um espectáculo que me fez sentir pela humanidade compaixão, nojo ou horror.

O povo faz bem as línguas. Fá-las imaginosas e claras, vivas e expressivas. Se fossem os sábios a fazê-las, elas seriam baças e pesadas.